icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2013
18:41

Defendendo o Barcelona, o atacante Neymar não será o primeiro ídolo santista a ter a missão de enfrentar a sua ex-equipe. Em 1998, no Camp Nou, também em amistoso válido pelo troféu Joam Gamper, o meia Giovanni (hoje aposentado) viveu história parecida.

Após brilhar pelo Peixe na década de 90, o Messias, como era chamado, se transferiu para a equipe catalã em 1996 e, após quase dois anos, teve o reencontro com o clube de coração. Na ocasião, o Alvinegro ficou no empate por 2 a 2 no tempo normal, mas acabou sendo derrotado nas penalidades. Os gols da equipe santista foram anotados por Anderson Lima e Adiel.

- É uma sensação estranha. Você defende o clube muitos anos e depois o vê como seu adversário. É estranho, mas o jogador tem que estar preparado para não pensar nisso. O Barcelona é um time grande e todo jogador sonha em vestir aquela camisa - disse ao site oficial do Peixe.

Conhecedor dos atalhos do estádio catalão, o jogador prevê um confronto complicado para a molecada da Vila Belmiro, nesta sexta-feira, às 16h30.

- O adversário é difícil, tem o lance da pressão, mas o jogo é dentro de campo. Em 98, o Barça tinha tinha mais estrelas, como Figo, Rivaldo... Hoje é mais equipe, jogam em conjunto, não depende apenas do individualismo - disse.

Confira a entrevista do "Messias" ao site oficial do clube:

 

Defendendo o Barcelona, o atacante Neymar não será o primeiro ídolo santista a ter a missão de enfrentar a sua ex-equipe. Em 1998, no Camp Nou, também em amistoso válido pelo troféu Joam Gamper, o meia Giovanni (hoje aposentado) viveu história parecida.

Após brilhar pelo Peixe na década de 90, o Messias, como era chamado, se transferiu para a equipe catalã em 1996 e, após quase dois anos, teve o reencontro com o clube de coração. Na ocasião, o Alvinegro ficou no empate por 2 a 2 no tempo normal, mas acabou sendo derrotado nas penalidades. Os gols da equipe santista foram anotados por Anderson Lima e Adiel.

- É uma sensação estranha. Você defende o clube muitos anos e depois o vê como seu adversário. É estranho, mas o jogador tem que estar preparado para não pensar nisso. O Barcelona é um time grande e todo jogador sonha em vestir aquela camisa - disse ao site oficial do Peixe.

Conhecedor dos atalhos do estádio catalão, o jogador prevê um confronto complicado para a molecada da Vila Belmiro, nesta sexta-feira, às 16h30.

- O adversário é difícil, tem o lance da pressão, mas o jogo é dentro de campo. Em 98, o Barça tinha tinha mais estrelas, como Figo, Rivaldo... Hoje é mais equipe, jogam em conjunto, não depende apenas do individualismo - disse.

Confira a entrevista do "Messias" ao site oficial do clube: