icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
10/07/2014
20:14

Neymar não participou do vexame histórico diante da Alemanha, não é capitão e nem mesmo é um dos jogadores mais experientes do atual elenco da Seleção Brasileira. Mas ele falou grosso, chamou a responsabilidade e não se esquivou de perguntas polêmicas nesta quinta-feira, durante coletiva na Granja Comary, em Teresópolis.

Ao contrário do técnico Luiz Felipe Scolari, que valorizou o fato de o Brasil ter chegado à semifinal, e, principalmente, do presidente José Maria Marin, que até agora só tirou fotos com torcedores e deu apoio aos jogadores, mas não se pronunciou sobre o fracasso na Copa do Mundo de 2014, o camisa 10 disparou contra o colombiano Zúñiga, criticou o próprio empresário por ter xingado Felipão, chorou com o tropeço em casa e ainda declarou torcida à Argentina na decisão.

Confira abaixo os principais tópicos da entrevista do craque, que segue se recuperando uma lesão na terceira vértebra lombar, sofrida no lance com o lateral-esquerdo colombiano Zúñiga, e está fora do duelo com a Holanda, sábado, no Mané Garrincha, em Brasília, válido pela disputa do terceiro lugar do Mundial.

REENCONTRO COM ELENCO

"Estou muito feliz por ter voltado a reencontrar meus companheiros, claro que numa situação que é ruim. Mas só de estar aqui, andando, e rever o grupo, fico feliz. Falei para eles que começamos juntos e vamos terminar juntos. O que importa é que estamos fechados e vamos terminar a conta honrando a camisa que sempre sonhamos vestir".

Não é por causa de uma derrota histórica que temos de andar de cabeça baixa. Faz parte do futebol. Esporte é assim, existem derrotas e vitórias. Não gosto de perder de jeito de nenhum, é doloroso, vai doer por muito tempo, mas vai passar. Dias melhores virão e faremos de tudo para devolver a alegria ao povo brasileiro".


Neymar não vê a hora de fazer o povo brasileiro sorrir novamente (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

TROPEÇO HISTÓRICO

"Eu não consigo explicar (goleada da Alemanha por 7 a 1). Foi um apagão que a nossa equipe teve. Tomamos gols e ficou difícil reverter. Não existe 'se', 'se eu' estivesse em campo. È fácil falar depois. Eu já passei por isso e sei como é conviver com o apagão em campo. Você não consegue fazer nada".

"Não vim aqui para explicar o que aconteceu. Eu não sei. Eu falo com eles e eles também não sabem responder. Se eles que estavam em campo não conseguem, quem sou? Quem somos nós para falar algo? Temos de lamentar. Ninguém queria perder. Todos trabalharam para isso e todos são merecedores de estar aqui. Não é por causa de uma derrota e da perda de titulo que todos são ruins. Aconteceu, é inexplicável. Nos sentimos humilhados e envergonhados".

LIÇÕES DO FRACASSO

"Concentração, treinamento... Tenho de querer mais. Tenho de treinar mais, fazer tudo mais. Para alcançar o título você precisa ter algo a mais. Eu já fui vaiado, já fui criticado. Infelizmente, vamos ficar marcados por uma goleada, assim como o Barbosa ficou marcado em 1950. É injusto. Vamos voltar a sorrir"

LANCE COM ZÚÑIGA

"Foi um lance que não concordo, não aceito. Não vou falar que foi desleal, porque não estou dentro da cabeça dele para pensar. Mas todo mundo que entende de futebol sabe que a entrada dele não foi normal. Quando alguém quer fazer uma falta para parar o jogo, ele chuta o tornozelo, empurra, segura. Por muito pouco, se fosse mais 2 cm para dentro, eu poderia estar de cadeira de rodas".

"Eu desculparia ele (Zúñiga), perdoaria. Não tenho rancor dele, não sinto ódio, não sinto nada. Ele até me ligou no dia seguinte e pediu desculpas, disse que não queria me machucar".

COPA DO MUNDO DA RÚSSIA DE 2018

"Queria estar em campo com os meus companheiros. Não tem o que pensar na próxima Copa. Fizemos de tudo para conseguir vencer aqui, ter a chance de ser campeão no nosso país, marcar o nome na história de forma positiva... Mas falhamos, erramos, deixamos a desejar. Agora é levantar a cabeça e encarar o jogo de sábado (contra a Holanda, no Mané Garrincha, em Brasília) como uma final para terminar a Copa sorrindo. Não irá amenizar a dor, mas será importante".

DIAS DE RECUPERAÇÃO (LESÃO NA TERCEIRA VÉRTEBRA LOMBAR)

"Foi uma das piores semanas que tive na minha vida. Só não está sendo pior por causa das mensagens de apoio que as pessoas têm enviado. Espero que tudo isso passe rapidamente".

ALEMANHA OU ARGENTINA?

"Desejo sorte para as duas equipes. Espero que vençam meus companheiros. Tenho dois na Argentina: Messi e Mascherano. Pela história que o Messi tem, ter conquistado quase tudo na carreira, merece ser campeão".


Neymar se emocionou durante a coletiva na Granja Comary (Foto: Cleber Mendes/LANCE!Press)

CRÍTICAS DO EMPRESÁRIO WAGNER RIBEIRO A FELIPÃO

"Existem dois caras que podem falar por mim: eu e meu pai. O que sai da boca do Wagner merece ser explicado por ele. Ele tem de tomar as atitudes dele. É uma pessoa que admiro, que tenho carinho, mas não concordo com a postura dele, não aceito. Hoje vou xingá-lo, mas ele tem de responder pelos atos dele"

CONTINUIDADE DE FELIPÃO

"Acho que sim. Essa equipe merecia ser campeã, tinha potencial, até mais do que esperavam. Esse grupo não merecia. Nós, brasileiros, temos a mania errada de querer mudar tudo depois de uma derrota. O futebol não é assim, também aprendemos com as derrotas".