icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes
12/11/2014
20:37

Na Turquia, a Seleção Brasileira alcançou nesta quarta-feira a quinta vitória consecutiva sob o comando de Dunga e viu Neymar cravar a marca de 42 gols, igualando Bebeto. Além disso, novamente a defesa passar ilesa e iniciar a reformulação promovida pelo técnico sem sofrer gols.

A partida realizada no estádio Sükrü Saraçoglu, em Istambul, também chamou a atenção por outros aspectos que foram enumerados pelo LANCE!Net. Confira abaixo os principais destaques positivos e negativos do jogo.

O QUE DEU CERTO

> Neymar, mais uma vez, mostrou porque é o capitão e astro da Seleção Brasileira. Apesar de estar um pouco disperso e individualista no início do jogo, o camisa 10 marcou mais gols, chegou a 42 em 59 partidas pela Seleção, teve o nome gritado pelos torcedores turcos e, após o fim do jogo, foi aplaudido de pé.

> O quinto jogo sem sofrer gols não é apenas um sinal de que o sistema defensivo tem funcionado apenas com a ajuda da recomposição de meias e atacantes. A nova dupla titular formada por David Luiz e Miranda demonstra qualidade e, especialmente, segurança. Mais um jogo sem sustos dos zagueiros.

> Com Luiz Felipe Scolari, Willian era apenas uma opção para o segundo tempo. Dunga, por sua vez, apostou no jogador e o escolheu para ser um dos 11 no início de reformulação. Contra a Turquia, talvez, tenha feito o melhor jogo até agora. Quase todas as jogadas iniciaram com o meia-atacante, principalmente no primeiro tempo. Além do gol, funcionou muito bem taticamente.

> Pela primeira vez chamado por Dunga, Diego Alves mostrou segurança e nas duas vezes em que foi exigido pelo ataque Turco correspondeu, fazendo duas ótimas defesas.

> Não foi apenas pelos aplausos ao Brasil, mas a torcida turca fez uma grande festa no estádio. Antes mesmo do início do jogo, eles cantavam seguindo o ritmo da música ambiente, agitando as bandeiras vermelhas que tomaram as arquibancadas do estádio do Fenerbahçe.

O QUE DEU ERRADO

> Intocável com Dunga na lateral esquerda, Filipe Luís não teve uma boa atuação diante da Turquia. Apesar de não ter protagonizado qualquer lance que o tenha comprometido, o jogador teve dificuldades para marcar as jogadas rápidas dos turcos pelo lado esquerdo da defesa brasileira.

> O técnico do Brasil moldou um sistema de jogo para encaixar Luiz Adriano e testar a formação ofensiva com um exímio centroavante. O jogador do Shakhtar Donetsk, porém, recebeu apenas uma bola em condição para marcar e deixou o jogo no segundo tempo com atuação discreta.

> A cerca de uma hora para o início da partida em Istambul, as ruas no entorno do estádio Sükrü Saraçoglu estavam tomadas pelos torcedores. Porém, o local não foi isolado pela polícia e os turcos dividiam parte do espaço com carros e ônibus que transitavam em momento de tráfego intenso.