icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
25/07/2014
14:07

Vitor Belfort viveu uma verdadeira montanha-russa de emoções nos últimos tempos. Após a felicidade e consagração de conseguir vitórias arrasadoras no UFC, o brasileiro passou pelo polêmico banimento do TRT (Tratamento de Reposição de Testosterona) - que o tirou do duelo pelo cinturão dos médios, em maio deste ano - e teve de revelar o resultado de um antidoping surpresa realizado em fevereiro, o que complicou sua situação junto a comissão. Mas como brasileiro não desiste nunca, o Fenômeno superou o obstáculo e vai enfrentar Chris Weidman pelo título dos médios no dia 6 de dezembro, em Las Vegas, pelo UFC 181.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!Net, Belfort comemorou a oportunidade de lutar pelo cinturão do Ultimate, que pode ser o terceiro em sua carreira (o brasileiro já foi campeão no GP dos pesados e dos meio-pesados). E o adversário que pode impedir esse feito histórico é o atual campeão, Chris Weidman. Porém, para o Fenômeno, o americano tem brechas que ele vai poder explorar.

- Pude observar muitas brechas no jogo do Weidman e é nisso que vou explorar. Mas ainda não posso revelar quais são. Meu camp oficialmente começa em outubro, mas nunca deixei de treinar - afirmou o carioca, que soma três vitórias por nocaute consecutivas.

Na última quarta-feira, Belfort passou pela audiência na Comissão Atlética de Nevada, que julgou sua licença para voltar a lutar após o brasileiro ter revelado exames em que apresentavam altos índices de testosterona em seu organismo. De forma unânime, Vitor foi inocentado e está apto para lutar em Las Vegas. Durante a audiência, o brasileiro chegou a se emocionar. Ao ser perguntado sobre o momento, Belfort revelou o que sentiu diante da comissão.

Vitor Belfort pode conseguir o terceiro cinturão no Ultimate (FOTO: UFC)

- Me emocionou por tudo o que vivi nesse período todo. A luta marcada em maio, o cancelamento, a espera, recuperação e mais uma vez a superação. Aprendi que contra a verdade ninguém pode e quando somos sinceros, não temos medo de mostrar o que sentimos. Com isso, fica tudo bem mais fácil. São esses valores que passo para meus filhos. Com certeza (estou aliviado) e pronto para mais uma nova fase do Vitor Belfort, que mais uma vez venceu os obstáculos colocados em sua frente e se reiventou.  - afirmou.

No período que antecedeu a audiência sobre sua liberação, Belfort foi alvo de muitas críticas de alguns lutadores, que questionavam seu potencial e suas últimas vitórias por conta do TRT. Tranquilo, o carioca prefere lembrar sua história no esporte ao invés de entrar em polêmica e corresponder os "ataques", que, segundo próprio, diminuiram após a liberação. 

- Acho que já ficaram quietos quando peguei a minha licença em Nevada (risos). Mas não preciso provar nada a ninguém e nunca quis isso. Tenho vários cinturões de categorias diferentes, luto há mais de 18 anos e continuo fazendo porque gosto, não preciso mostrar nada para ninguém. Minha história fala por mim - finalizou.