icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
26/07/2014
07:00

A lista de sócios elegíveis e eleitores do Vasco ainda rende polêmica nos corredores de São Januário. O LANCE!Net teve acesso a documentos que mostram que dos nomes pedidos por Nelson Rocha, líder da Chapa "Vira Vasco" e autor de ação para impugnar as relações, apenas dois foram aceitos pela Junta Deliberativa. E justamente dois que não são da chapa encabeçada pelo ex-vice de finanças: Julio Brant, candidato pela "Sempre Vasco", e Francisco Moura, da "É Vasco", que apoia Julio Brant.

No documento, a Junta explica que Julio Brant efetuou os pagamentos que estavam em aberto na véspera do dia em que a lista de sócios foi gerada, mas a compensação bancária ainda não constava no sistema do clube quando o documento foi feito. Já no caso de Francisco Moura, a Junta admite que houve um erro interno e, por este motivo, o nome dele não estava na relação de sócios elegíveis.

Procurado pela reportagem, Nelson Rocha disse que pediu explicações a Olavo Monteiro de Carvalho, presidente da Junta Deliberativa, do porque ele, impugnante, não ter tido acesso à lista e saber do conteúdo da mesma por terceiros. O candidato à presidência questionou ainda os critérios utilizados pela Junta e garantiu que membros da chapa "Vira Vasco" que estão com as situações regularizadas não foram aceitos.

- O presidente da Junta Deliberativa tem de se explicar. Como pode o impugnado ter acesso ao documento e o impugnante não? Não fomos informados pelo clube e só ficamos sabendo da decisão através de outras pessoas. Gostaria de saber qual o critério que eles utilizaram. Só acolheram dois dos nomes que eu adicionei na lista. Entre os aceitos, estava o nome do Julio Brant, que eu incluí por uma questão democrática. A Junta não aceitou os nomes de ninguém da nossa chapa, e que estavam na mesma situação dos sócios aceitos - disse ele, que completou:

- Os membros da nossa chapa estavam com as mensalidades quitadas, alguns deles até com os comprovantes em mãos, mas mesmo assim não aceitaram o pedido de inclusão. Queremos uma explicação plausível sobre isso.

Um dos sócios não aceitos pela Junta Deliberativa foi o de Júlio Cesar Vieira dos Santos que, segundo o clube, ainda tem débitos referentes aos meses de novembro de 2009 a dezembro de 2010 e junho e julho deste ano. Júlio, por sua vez, nega que tenha dívidas com o Cruz-Maltino e lembra o estatuto.

- Eu peguei todos os comprovantes no banco, após ficar sabendo que não poderia ser incluído na lista dos elegíveis. Eles estão alegando que eu estou devendo mensalidades de novembro de 2009 até dezembro de 2010, o que não faz sentido, pois além de ter todos os comprovantes dos pagamentos feitos, o estatuto do Vasco define que, após três meses de inadimplência, a pessoa deixa de ser sócia. Como seria possível? - reclama Júlio Vieira.