icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/07/2013
08:03

Com atuações ruins e um gol contra na partida frente ao Internacional, Nei vinha sendo um dos jogadores mais contestados do elenco cruz-maltino. Porém, nos últimos jogos da equipe, o lateral apresentou uma melhora de rendimento considerável. O camisa 4, no entanto, garante que o fato não tem ligação com a chegada de Fagner, concorrente direito pela vaga na equipe.

- A chegada do Fagner, para mim, não mudou nada. Respeito ele como respeito muito o Elsinho, que quando estava no time era aplaudido pela torcida. Mas o Fagner é um cara que a torcida adora, foi muito bem na primeira passagem por aqui, é um excelente jogador, mas independentemente da chegada dele, o meu jeito que ser aqui não vai mudar. Senão estarei desrespeitando o próprio Elsinho - disse Nei.

E MAIS
> Sandro Silva fala em reeditar dupla com Guiñazú no meio de campo
> Amigo de Benítez, Tenório pede liberação do Vasco para ir ao velório de equatoriano

Nei apegou-se a uma frase pra lá de batida, mas que ilustra bem o atual momento do time e que pode servir até para ele mesmo. Afinal, entre mais baixos do que altos, o Vasco deu a volta por cima no Brasileirão e conseguiu boas vitórias nas duas últimas rodadas. Junto a isso, o lateral, com atuações seguras, deixou as vaias no passado.

– O futebol vive disso: altos e baixos. Ninguém mantém padrão tão bom nem tão ruim por muito tempo – acrescentou o lateral vascaíno.

Quando foi solicitado para comentar suas últimas atuações, Nei mostrou-se feliz com o bom momento, mas disse que prefere deixar isso para a crítica.

– Desde o início da minha carreira, não costumo falar das minhas atuações. Deixo para vocês, que estão acostumados a isso. Tento fazer o meu melhor. Quero sempre ir melhor do que no jogo anterior.

Com atuações ruins e um gol contra na partida frente ao Internacional, Nei vinha sendo um dos jogadores mais contestados do elenco cruz-maltino. Porém, nos últimos jogos da equipe, o lateral apresentou uma melhora de rendimento considerável. O camisa 4, no entanto, garante que o fato não tem ligação com a chegada de Fagner, concorrente direito pela vaga na equipe.

- A chegada do Fagner, para mim, não mudou nada. Respeito ele como respeito muito o Elsinho, que quando estava no time era aplaudido pela torcida. Mas o Fagner é um cara que a torcida adora, foi muito bem na primeira passagem por aqui, é um excelente jogador, mas independentemente da chegada dele, o meu jeito que ser aqui não vai mudar. Senão estarei desrespeitando o próprio Elsinho - disse Nei.

E MAIS
> Sandro Silva fala em reeditar dupla com Guiñazú no meio de campo
> Amigo de Benítez, Tenório pede liberação do Vasco para ir ao velório de equatoriano

Nei apegou-se a uma frase pra lá de batida, mas que ilustra bem o atual momento do time e que pode servir até para ele mesmo. Afinal, entre mais baixos do que altos, o Vasco deu a volta por cima no Brasileirão e conseguiu boas vitórias nas duas últimas rodadas. Junto a isso, o lateral, com atuações seguras, deixou as vaias no passado.

– O futebol vive disso: altos e baixos. Ninguém mantém padrão tão bom nem tão ruim por muito tempo – acrescentou o lateral vascaíno.

Quando foi solicitado para comentar suas últimas atuações, Nei mostrou-se feliz com o bom momento, mas disse que prefere deixar isso para a crítica.

– Desde o início da minha carreira, não costumo falar das minhas atuações. Deixo para vocês, que estão acostumados a isso. Tento fazer o meu melhor. Quero sempre ir melhor do que no jogo anterior.