icons.title signature.placeholder Walace Borges
29/07/2014
15:55

O Flamengo vai mesmo caminhando para ficar com a base do elenco atual e não fazer mais grandes contratações até o fim do ano. Isso porque as conversas com o costariquenho Bolaños e com Robinho esfriaram nos últimos dias e o clube já não se mostra confiante em um desfecho positivo. A expectativa, pelo menos por enquanto, é que ambos fiquem na Europa.

No caso de Bolaños, a confusão que tomou conta do Flamengo na última semana foi um fator complicador na negociação. Com isso, ele ainda analisa as duas propostas que tem do futebol europeu. No caso de Robinho, o problema foi uma divergência salarial, na qual o clube da Gávea não poderia arcar de maneira responsável com os vencimentos do atacante. No entanto, apesar de todo o apelo da torcida, o LANCE!Net apurou que a cúpula do futebol rubro-negro nunca entendeu que as negociações estivessem avançadas.

Apesar de o desfecho negativo estar aparentemente fadado para as duas negociações, o Flamengo segue olhando o mercado em busca de novos reforços. Com a provável saída de André Santos, o clube entende que um lateral-esquerdo é necessário e talvez um meia caso o argentino Lucas Mugni deixe a Gávea rumo ao Al-Rayyan (QAT).


Lucas Mugni pode sair do Flamengo (Foto: Paulo Sergio/ LANCE!Press)

É importante lembrar que a negociação com Robinho foi uma indicação feita pelo ex-vice de relações externas do clube, Plínio Serpa Pinto, e o ex-presidente Kleber Leite. Na semana, inclusive, o segundo revelou uma engenharia financeira onde três empresas pagariam R$ 300 mil cada para que o atacante desembarcasse na Gávea.