icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/03/2014
19:28

Depois de trocar Jadson por Alexandre Pato, a diretoria do São Paulo cogitou mandar Osvaldo ao Fluminense para ter o meia Wagner no início da temporada. O atacante reclamou na época por não ter sido informado sobre as negociações, voltou a jogar bem e passou a ser indispensável ao time de Muricy Ramalho, mas ainda se mostra incomodado com a situação.

– Fiquei triste, mas procurei deixar de lado e trabalhar primeiro. É uma resposta, sim (a boa fase). Mostra que tenho valor para o grupo. Se fosse para sair, queria que fosse em alta, como aconteceu em todos os lugares que joguei. Quero mostrar todo meu potencial para, se sair, sair bem – disse o camisa 17.

No ano, Osvaldo anotou três gols e disputou 15 partidas, mas emplacou boa sequência a partir do clássico com o Santos. Depois de amargar o banco de reservas, o atacante assumiu a titularidade contra o Peixe e só saiu da equipe no último domingo, quando os titulares foram poupados na vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo em Ribeirão Preto.

- No futebol as coisas mudam num estalar de dedos. Acontece no mundo todo. O cara de repente não vem jogando e em menos de seis meses se destaca e é vendido. Quando começa no banco, tem que pensar que o ano é longo, com muitas competições. Não pode deixar abalar o emocional, tem que continuar treinando, fazer o que o professor pede e não deixar a peteca cair - afirmou.

Osvaldo quer dar fim a jejum em Estadual do São Paulo