icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/06/2014
18:27

Pela idade, o Maracanã poderia estar perto da aposentadoria. Mas o estádio, que nesta segunda-feira completa 64 anos, ainda pulsa, encanta e deslumbra. O fôlego é de um menino, que acabou de renascer para voltar a receber partidas históricas da Copa do Mundo.

O gigante carioca, concebido para o Mundial de 1950 - no dia 16 de junho-, recebe novamente os holofotes do mundo. Desta vez esbanjando modernidade e conforto. Se há 64 anos o jogo de abertura foi entre as seleções do Rio de Janeiro e São Paulo: 3 a 1 para os paulistas, o Maraca teve o privilégio de antecipar um pouco a festa e comemorar, um dia antes, o aniversário com um gol de Messi. Quer melhor?

Assim como naquele 1950, em 2014 a final da Copa será no Maracanã. Os jogos inesquecíveis são incontáveis. E mais um vai entrar na lista.

O estádio não é somente um símbolo do futebol carioca, ou casa preferida de Zico, por exemplo, maior artilheiro do estádio, com 333 gols. É um templo do futebol mundial, que já recebeu nomes consagrados fora do esporte, como o papa João Paulo II e Frank Sinatra.

A ostentação não está mais em receber 200 mil pessoas. Atualmente, o Maracanã tem capacidade para 78 mil torcedores, está dividido em quatro setores e conta ainda com seis rampas de acesso, 292 banheiros, 60 bares, 17 elevadores e 12 escadas rolantes para atender ao público.