icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
25/06/2014
08:03

Parte da torcida do Corinthians considerava as laterais como um dos pontos fracos da equipe eliminada ainda na primeira fase do Campeonato Paulista. No Brasileirão, entretanto, a situação mudou, tanto que a diretoria não investiu em nenhuma novidade no setor, considerado fechado.

Anderson Martins será reforço para a zaga, Elias e Lodeiro serão novas opções no meio e Ángel Romero chega para dar dor de cabeça ao técnico Mano Menezes no setor ofensivo. Além dos quatro, o Timão está atrás apenas do atacante Marcelo, do Atlético-PR. Já nas laterais, a confiança de treinador e direção está depositada em Fagner e Ferrugem, na direita, e Fábio Santos e Uendel, do lado esquerdo.

Fagner, que admite as atuações irregulares no “período de adaptação” do primeiro semestre, é símbolo dessa mudança de pensamento, e já até fez gol no Brasileirão.

– A gente sabe que é natural ter um tempo para entender o que o professor quer, mas em se tratando de Corinthians esse natural soa um pouco estranho, porque a torcida meio que não entende. Mérito que dentro da Copa do Brasil e do Brasileiro demos uma resposta imediata e mostramos que valeu a pena a espera – avaliou Fagner, ao LANCE!Net.

Contratado no início do ano, Fagner foi titular o tempo todo com Mano, mesmo criticado. Curiosamente, foi só após a chegada de Ferrugem da Ponte Preta que o jogador emprestado pelo Wolfsburg (ALE) passou a corresponder. Na visão dele, essa é a importância de qualificar o elenco e se aproximar do nível de clubes como o Cruzeiro, o Fluminense ou o Internacional.

– Se você olhar o elenco do Corinthians e equiparar aos outros, o nosso está no mesmo nível ou acima. Pela grandeza do clube, nada mais justo – diz o lateral-direito.

Pela expectativa da torcida, nada mais justo que essa confiança.

BATE-BOLA com FAGNER
Lateral do Corinthians, ao L!Net

Fagner vive boa fase após o Paulistão (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)

O que está achando da concentração em Extrema?
Eu sou mais da cidade, mais da agitação, por ser criado e ter nascido em cidade grande sou mais disso. Mas de vez em quando é bom vir para a tranquilidade, poder trabalhar sossegado é bom também, é válido.

Você acha que Corinthians tem boas chances no Brasileirão?
Tem, e o começo do campeonato mostrou isso, porque estamos entre os primeiros. Mas o campeonato é muito longo ainda e essa preparação de 30 dias até o retorno do campeonato é importante pela sequência de jogos em curto espaço de tempo. Essa preparação pode ser importante para conseguir largar bem e no fim do ano brigar pelo título.

Então por que o time não engrenou no Paulista?
Mudanças, né? O clube passou por mudanças, reformulou o elenco. Então a gente sabe que é natural ter um tempo para entender o que o professor quer, conhecer os novos companheiros.

A Seleção deve passar por uma renovação após a Copa do Mundo. Ainda faz parte dos seus planos?
Sem dúvida, se eu falar que não estou mentindo, mas tudo com o pé no chão. Meu maior objetivo é fazer meu bom trabalho aqui, ajudar a equipe do Corinthians, quem sabe permanecer no Corinthians no fim do ano e permanecendo, atuando em clube com grande visibilidade, tudo é possível. Se eu puder ter essa honra será a maior glória da carreira.

SUOU A CAMISA!

Fagner foi o terceiro jogador do Corinthians que pro mais tempo esteve em campo na atual temporada. Com quase 2 mil minutos de jogo, o lateral-deito fica atrás apenas de Gil e Ralf. Confira os cinco "mais ativos" do Timão em 2014:

Gil - Titular absoluto, disputou 2.333 minutos pelo Timão em 26 partidas.

Ralf - Irregular em termos de atuação, segue como homem de confiança: 2.328 minutos em 27 jogos.

Fagner - Dono da lateral direita do Timão, atuou por 1.957 minutos em 22 jogos.

Romarinho - 1.849 minutos em 26 jogos bastaram para ele ser artilheiro do time até aqui (11 gols).

Guilherme - Ele esteve em campo ao longo de 1.784 minutos, em 21 jogos.