icons.title signature.placeholder Fábio Suzuki
01/11/2014
09:00

Rodrigo Paiva foi diretor de comunicação da CBF por 13 anos, período em que esteve em quatro Copas do Mundo, sendo uma delas no Brasil, onde foi responsável por toda a operação de mídia do evento no país. Demitido da entidade após o Mundial, ele diz em entrevista exclusiva ao L! que não sente mágoa por ter deixado a CBF mas que futebol é um assunto encerrado em sua carreira. E que nesses três meses após ter deixado a entidade não assistiu a nenhum jogo de futebol, muito menos da Seleção Brasileira comandada por Dunga. 

O que você tem feito desde que deixou a seleção?
Estou estudando, fazendo vários cursos em outras áreas, como Filosofia. Hoje estou fazendo um curso sobre os conflitos no Oriente Médio na PUC-RJ. São cursos curtos, de 6 a 8 aulas e que duram de um a dois meses. Desde que deixei a Seleção Brasileira já fiz três cursos. Optei por esses estudos para descansar a cabeça. Foram 24 anos de futebol, sendo 13 na CBF e mais 10 no Flamengo, além do trabalho com o Ronaldo.

De onde veio esse interesse por áreas tão distantes do futebol?
Só futebol fica monotemático e chega uma hora que os assuntos ficam os mesmos. Estou aproveitando o tempo para estudar línguas também. Falo cinco idiomas mas precisava reforçar a base de escrita em inglês, francês e italiano e estou fazendo isso.

Você ainda pensa em voltar para a Seleção?
A Seleção para mim já está resolvida, é uma página virada. Fiz o meu melhor e dentro da minha missão eu cumpri. Criei, planejei e executei toda a estrutura e parte de operação da Copa das Confederações e Copa do Mundo, que foi o maior evento já realizado no país. Foram milhares de jornalistas no país e tudo funcionou sendo feito por eu e o Victor sozinhos.

A maneira como você saiu da Seleção te chateou?
Não tenho frustação ou mágoa de ninguém tanto na CBF quanto fora dela. E a imprensa sempre me respeito muito em todo esse período. A única coisa que me entristece foi não ter chegado à final do Mundial e a forma como fomos eliminados pois aquele resultado fica marcado. Há 12 anos ganhamos deles na final mas dessa vez não. Futebol é assim.

Você recebeu propostas para voltar para o futebol?
Já recebi algumas propostas mas nada que vá me fazer feliz. Futebol é um ciclo que se encerrou na minha cabeça.

E jogos do Brasileiro e da Seleção, tem assistido?
Não vejo mais jogos, nenhum. Não assisti um jogo da Seleção desde que saí da CBF e nem leio notícias sobre futebol. Já a eleição eu acompanhei de perto, mas futebol não. Estou descansando a minha mente.