icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
09/02/2015
11:22

 Paige usa vestido chamativo
(FOTO: Luis Fernando Coutinho)

Desde que Ronda Rousey se destacou como uma das maiores estrelas do UFC dentro e fora do octógono, o público aprendeu a entender que o rosto bonito de certas lutadores esconde o talento delas para esportes de combate como o MMA. Em busca de seguir os passos da atual campeã peso galo da organização, Paige VanZant, ex-participante do The Ultimate Fighter 20 (primeira edição do reality show que contou apenas com mulheres), quer fazer o mesmo e provar que é muito mais do que "apenas um rosto bonito".

Em conversa com os jornalistas nos bastidores do UFC 183, em Las Vegas (EUA), a atleta da categoria peso mosca falou sobre o ingresso no Ultimate e revelou ter sofrido bullying no colegial por conta de sua beleza.

- Sabe, acho que sempre seremos recebidas dessa forma. Muitas pessoas pensam assim. Nascemos assim, não é nada que possamos mudar. Acho que tenho de provar a todos que não sou apenas um rosto bonito. (o assédio) Já era algo que esperava. Sofri bullying no colegial e tive de lidar com isso. No passado, isso me fez mais forte. O colegial foi difícil pra mim. Quando eu tinha 16 anos, não queria lidar mais com aquilo, passei por muita coisa. O que quer que digam hoje em dia, não me importo - declarou a lutadora americana.

Ao ser perguntada sobre a posição de porta-voz de uma nova geração de jovens lutadoras que alinha o trabalho no octógono com o de modelo, Paige, aos 20 anos, diz que quer passar uma mensagem ao público feminino.

- É legal, quero ser a voz de jovens garotas que sofreram bullying. Passei por muito crescendo, e são coisas que vocês nem acreditariam. Quero ensinar que você nao precisa ser a vítima, pode ser a sobrevivente. Olhe Ronda Rousey... Ela é uma atleta incrivel, olímpica, tem trabalhos criativos. Posso seguir os passos dela e criar os meus próprios. Se conseguisse isso, seria uma benção - avaliou.

Por fim, ela analisou sua primeira luta no UFC, onde bateu Kailin Curran por nocaute técnico. Segundo ela, o triunfo é um passo rumo a comprovação de que apesar do rosto bonito é uma lutadora casca-grossa. Seu próximo desafio é contra Felice Herrig, em abril.

- Foi uma vitória dominante e acho que um passo a frente para ser conhecida como uma lutadora dura, não apenas uma lutadora bonita. Não tenho nada a perder, tenho muito a provar. Sei que posso fazer o meu melhor, e o que quer que aconteça será bom. Acho ótimo estar ranqueada como a número 10 na divisão, é demais. Mal posso esperar para subir a escada. Quero lutar logo para poder subir - concluiu.