icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2014
14:56

Não era só o presidente Carlos Miguel Aidar quem estava indignado com a maneira como o CFA Laudo Natel, em Cotia, era administrado nos últimos. Nesta sexta-feira, dia em que Júnior Chávare será apresentado como novo gerente-executivo da base do São Paulo, Muricy Ramalho também mostrou sua insatisfação com o trabalho que era feito por José Geraldo de Oliveira, conhecido como um dos 'capatazes' do ex-mandatário Juvenal Juvêncio.

- Cotia virou um grande negócio. E um grande negócio ruim. Estou animado, mas vou cobrar desse rapaz que chegou (Chávare)... Já falei: 'Se tiver alguma dúvida, estou fora'. Tem que demostrar muito caráter para mim. Vou cobrar, participar. Temos que melhorar aquilo. É um gigante, tem que dar jogador toda hora e ser ligado ao profissional. Tinha um cara que mandava, era dono... Mas mudou. Vou ajudar, conversar com os treinadores, que não tinham autonomia. Ninguém será dono mais. Vai melhorar. E muito - disparou o técnico.

Além da contratação de Chávare, que atuava como coordenador das categorias de base do Grêmio, o novo formato de administração de Cotia contará com a participação direta de Muricy. O comandante do time profissional irá frequentemente ao CFA para conversar com os técnicos e até aplicará treinamentos para os garotos. Esse cenário sempre foi sonhado por Muricy, mas nunca teve abertura dos profissionais da base para acontecer.

- Conheço um puco a base, trabalhei lá. A distância é grande, atrapalha, por isso trago os times para conhecer aqui. Sempre tive a intenção de estar lá em alguns dias e até treinar os jogadores. Antes eram dois times... São Paulo 1 aqui (CT) e o 2 lá em Coti... O pensamento era separar. Uma vez fui para ver um treino da Copa São Paulo e nem me receberam. Eram donos. Estamos agora com novo projeto. Todo mundo sabe um poquinho de futebol, mas a grande diferença é caráter, tem que ser homem. Infelizmente, estava faltando um pouco disso - lamenta.

Muricy é frequentemente questionado por suposta dificuldade para trabalhar com garotos, mas assegura que é uma das coisas que mais aprecia. Neste ano, o técnico promoveu o zagueiro Lucão, o lateral-direito Auro, o meia Boschilia e o atacante Ewandro para integrar o profissional e deu chances a todos na equipe titular.