icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/11/2013
20:00

Muricy Ramalho não gosta de comentar a atuação dos árbitros. E neste domingo, no Maracanã, o treinador do São Paulo evitou colocar a responsabilidade pela derrota por 2 a 1 para o Fluminense em Márcio Chagas da Silva.

O árbitro não aplicou o segundo cartão amarelo para Gum quando o zagueiro do time carioca deu carrinho em Lucas Evangelista. No fim da partida, o mesmo Gum marcou de cabeça o gol da virada do Fluminense.

- É difícil de falar de abritragem. Se não a gente transfere as coisas. Mas o que foi mais claro acho que foi a expulsão, até posso falar porque estava perto. É uma jogada para cartão, segundo cartão e está fora do jogo. O pênalti (disputa com Welliton dentro da área) fiquei em dúvida, foi muito rápido, não dá para falar que foi 100%, mas a jogada do Gum foi clara. Mas também transferir para ele (árbitro) não é legal. Jogamos até bem, a gente estava com bom domínio do jogo - analisou o treinador são-paulino.

Preocupado com o desgaste físico dos titulares, Muricy tirou todos do jogo deste domingo. A prioridade no clube é a Copa Sul-Americana. Na próxima quarta-feira, o Tricolor enfrenta a Ponte Preta, no Morumbi, pela semifinal do torneio. Com apenas reservas em campo, o treinador aprovou o desempenho dos jogadores:

- Gostei, gostei de alguns jogadores. Acontece que no futebol é assim, quem dá resultado é quem permanece. Você tem de ter uma maneira de trabalhar e quem dá resultado fica. Claro que teve jogadores que a gente gostou. O Lucas Evangelista pelo lado esquerdo marcou muito forte. O próprio João Schmidt foi bem, tem muito defeito, que a gente tem de melhorar na nossa base. É um volante à moda antiga, que toca e corre para trás, ele disse que é um vício dele, então temos que corrigir. Foi bom também para dar ritmo para Edson e Toloi. Welliton também jogou muito bem. Foi bom para observar para o ano que vem.

Fluminense luta até o fim e vence o São Paulo