icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese e Vinicius Perazzini
27/06/2014
08:05

Neymar brilha pelo Brasil, Messi, pela Argentina, e Thomas Müller não fica para trás com a Alemanha. Ontem, mais uma vez, ele decidiu e agora chegou aos quatro gols na Copa, igualando-se na artilharia do torneio aos dois jogadores citados acima. Artilheiro da Copa de 2010 na África do Sul, com cinco gols, ele agora tem nove gols em nove partidas.

- Eu me sinto bem fisicamente e mentalmente. Somos todos muito ambiciosos e essa ambição pode nos levar muito longe. Espero conseguir ajudar para a nossa meta máxima, que é o título - disse.

O camisa 13, com apenas 24 anos, tem dois perfis na seleção. Assume papel de um dos líderes do elenco, com status de titular absoluto do ataque, e também é um dos mais brincalhões do elenco.

Müller garante vitória da Alemanha sobre Estados Unidos

- Ele é um cara muito engraçado. Nunca cala a boca (risos). Está sempre de bom humor, nos joga pra cima - revelou o lateral Boateng.

O técnico Joachim Löw é um de seus maiores admiradores. O treinador tem o escalado mais avançado, como referência, centralizado. Ontem, depois da entrada de Klose, ele fez “a dele”, aberto pela direita.

- Muller é mentalmente forte e vai ser difícil para qualquer adversário enfrentá-lo. Ele é inteligente e sempre descobre uma maneira de estar na área. Ele é o que mais corre durante o jogo, nem o calor do último jogo o afetou. Ele faz parecer que as coisas são fáceis - disse.

Jürgen Klinsmann, hoje técnico dos Estados Unidos, mas que levou Müller para a seleção no passado, resga elogios ao ex-comandado.

- Demos uma chance de gol. E um jogador como o Muller não precisa de duas chances. Ele marca com uma. Todas as nações adorariam ter um Müller no time - disse.