icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/07/2013
16:54

A piloto Vanessa Daya faleceu após não resistir ao edema cerebral que teve depois de sofrer acidente durante a disputa da terceira etapa do Campeonato Brasiliense de Motovelocidade, que aconteceu no último domingo.

Segundo a empresa "Capital Racing Motociclismo", organizadora do evento, a atual campeã da competição sofreu a queda na 7ª volta da prova, ao perder o controle de sua moto quando passou por um trecho de terra após uma tentativa de ultrapassagem. Ela caiu em uma espécie de valão no Autódromo de Brasília.

Daya passou por um procedimento cirúrgico em que foi necessária a colocação de um catéter para estabilizar a pressão intracraniana e outro para a drenagem do tórax.

Na terça-feira, os médicos suspeitaram de morte cerebral da piloto, mas após passar pelo exame que avalia as funções neurológicas do paciente, Vanessa voltou a apresentar estímulos.

O presidente da Federação de Motociclismo do Distrito Federal, Carlos Senise está com uma comissão especialista para analisar as causas e condições do acidente e logo em seguida tomar alguma providência.

A piloto Vanessa Daya faleceu após não resistir ao edema cerebral que teve depois de sofrer acidente durante a disputa da terceira etapa do Campeonato Brasiliense de Motovelocidade, que aconteceu no último domingo.

Segundo a empresa "Capital Racing Motociclismo", organizadora do evento, a atual campeã da competição sofreu a queda na 7ª volta da prova, ao perder o controle de sua moto quando passou por um trecho de terra após uma tentativa de ultrapassagem. Ela caiu em uma espécie de valão no Autódromo de Brasília.

Daya passou por um procedimento cirúrgico em que foi necessária a colocação de um catéter para estabilizar a pressão intracraniana e outro para a drenagem do tórax.

Na terça-feira, os médicos suspeitaram de morte cerebral da piloto, mas após passar pelo exame que avalia as funções neurológicas do paciente, Vanessa voltou a apresentar estímulos.

O presidente da Federação de Motociclismo do Distrito Federal, Carlos Senise está com uma comissão especialista para analisar as causas e condições do acidente e logo em seguida tomar alguma providência.