icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro
13/03/2014
13:16

Na manhã de quarta-feira, o Mogi Mirim foi indiciado pelo Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. De acordo com o advogado João Zanforlin, contratado para representar o clube do interior, foi entregue à policia imagens do torcedor que fez ofensas racistas a Arouca, na partida realizada no dia 6 deste mês.

- O Mogi mandou as imagens de identificação para a polícia. Eu ainda não tive acesso, estou esperando mais documentações para preparar a defesa do clube - disse Zanforlin, ao LANCE!Net.

Segundo o terceiro parágrafo do artigo 243-G, "Quando a infração for considerada de extrema gravidade, o órgão judiciantte poderá aplicar as penas dos incisos V, VII e XI do art. 170". Assim sendo, o Mogi poderá ser punido ainda com perda de pontos, de mando de campo e até sofrer a exclusão do Campeonato. Vale lembrar que o clube já teve seu estádio interditado pela FPF.

Entretanto, tudo é passível da interpretação de quem julgará o caso, como lembra o procurador do TJD, Antônio Carlos Meccia:

- A procuradoria fez a sua parte que é fazer a denúncia, mas tudo é passível de interpretação e tudo pode ajudar. Como torcedor, eu acredito que foi mais uma provocação do que um ato de racismo propriamente dito.

O julgamento acontece na próxima segunda-feira, dia 17, na sede da Federação Paulista de Futebol.


Após ato de racismo, Arouca desabafa sobre episódio