icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/04/2014
14:35

A tarde do último sábado, dia 26 de abril, no Rio de Janeiro, os amantes dos mais diferentes esportes se reuniram na segunda edição do Arnold Classic Brasil, feira internacional de nutrição esportiva, fitness, lutas e esportes radicais. E um encontro entre os ídolos nacionais Carlos Burle e Rodrigo Minotauro aglomerou centenas de fãs, que, ansiosos, formaram uma longa fila para registrar o momento com os atletas. Na ação, os admiradores recebiam cards autografados e posavam para fotos com ambos.

- Esse carinho dos fãs é ótimo, é o reconhecimento do trabalho que batalhamos há anos para tornar realidade. O surf e o MMA estão crescendo no Brasil, e tenho certeza que crescerão ainda mais - comemorou Burle, através de assessoria de imprensa.

A felicidade do big rider (surfista de ondas gigantes) ia além da enorme quantidade de apreciadores no estande de um de seus patrocinadores. Ao lado de um dos maiores nomes da história do MMA, Burle revelou a admiração pelos lutadores brasileiros e por Minotauro.

- Torço muito quando eles lutam e, quando vencem e levantam a bandeira do Brasil, me enche de orgulho. Admiro o Minotauro por fazer de sua carreira uma transformação para o meio, sendo inspiração para todos lutadores - explicou.

Campeão mundial de ondas gigantes, Burle surfou, em 2001, na Califórnia (EUA), a maior onda já registrada até a época, com 68 pés - cerca de 22 metros de altura. Natural de Recife, Pernambuco, o atleta de 46 anos conquistou o título mundial em 1998, nas perigosas ondas de Killers, na Baía de Todos os Santos, no México. Foi nessa época que a estima de Minotauro pelo surfista aumentou.

- Eu acompanho a galera mais antiga do surf como o Burle há muito anos. Sou fã dele, ele é incrível. Faz coisas dentro do mar impressionantes. Ele é um espelho para qualquer esportista, em especial para nós, brasileiros - contou o lutador, dono de um cartel profissional com 45 lutas e 34 vitórias.

Fãs formaram longas filas para verem os ídolod nacionais (FOTO: Divulgação)

Minotauro foi uma das inspirações de Carlos Burle para a rápida passagem que teve treinando jiu-jitsu, após aprender judô na infância. E a flexibilidade conquistada através dos treinos de surf o ajudou na desenvoltura no tatame.

- Eu tenho um biotipo de fácil aprendizado, faço bem a alavanca e tenho boa movimentação, muito pelo surf. Segurei um pouco nos treinos de jiu-jitsu porque já tenho um treinamento intenso, mas adoro o esporte. Treinei pouco tempo, fiquei na faixa branca mesmo - encerrou Burle, aos risos.