icons.title signature.placeholder Felipe Domingues
10/07/2014
01:00

Recepcionar um evento de grande porte se tornou "comum" para o Brasil nos últimos anos. Começando com o Pan-Americano do Rio de Janeiro, em 2007, passando pela Copa do Mundo, neste ano, e culminando com a Olimpíada do Rio, em 2016, o Brasil se tornou "polo" do esporte. Isso é o que tenta o Canadá, que recebeu os Jogos de Inverno em Vancouver, 2010, e agora sediará o Pan de Toronto, em 2015.

O  LANCE!Net conversou com o Ministro do Esporte, Cultura e Turismo da Província de Ontario (onde Toronto se encontra), Michael Coteau, que disse que sediar um evento como o Pan-Americano e o Para-PanAmericano vai além de receber eventos esportivos. Para ele, os Jogos trarão benefícios em infraestrutura e até mesmo para o futuro do esporte no Canadá.

A cidade de Toronto irá construir dez novas instalações para os Jogos e seis novas arenas para treinamentos, além de reformar 15 locais já existentes. Com a divisão do Pan em 16 municípios diferentes, o Ministro prega que o legado vai ser o maior marco dos Jogos em Toronto.

Mesmo com o orçamento recorde de US$ 2,5 bilhões (cerca de R$ 4,7 bilhões), Michael acredita que o retorno de investimento e o aumento da participação de Toronto em outros eventos esportivos futuros, podem suprir os gastos facilmente. Agora, a cidade quer mais do que o Pan, quer reanimar o esporte no Canadá e criar as gerações futuras de astros no país.

Bate-Bola - Michael Coteau - Ministro do Esporte de Ontario, Canadá

1 - Como está o clima em Toronto para receber os Jogos?

Estamos muito felizes. Nesta sexta-feira iniciaremos a contagem regressiva de um ano para os jogos. As coisas estão começando a ficar mais legais, dentro da cidade e nos diferentes grupos de comunidades. As pessoas estão começando a se envolver mais.

2 - Quais as vantagens de receber os Jogos?

Estamos construindo 10 novos locais para as competições, teremos 15 outros reformados, teremos mais uma dúzia de locais para treinamento, então, basicamente, colocaremos a região de Ontario e de Toronto em posição para competir por outros jogos e conseguiremos, no futuro ter condições para melhorar o nível das competições aqui no Canadá.

3 - Quais as mudanças de Infraestrutura nos transportes?

Temos uma meta de reduzir o trânsito em 20% durante os Jogos. Nós estamos muito próximos de atingir isso e será a nossa meta primária. Teremos vans para levar as pessoas aos Jogos, teremos um trem expresso ligando o aeroporto internacional ao centro da cidade... Estamos preparando os melhores jogos Pan-americanos já vistos.

4 – O trem expresso ficará pronto para os Jogos?

Sim, estará pronto para os Jogos. Esse tipo de infraestrutura é algo que leva anos para ser construído, mas é algo que o governo está se comprometendo e tem certeza de que estará pronto para os Jogos, com o objetivo de melhorar o trânsito na região e tornar os transportes mais eficientes.

5 – Haverá algum atraso nas obras do Pan?

Administrar qualquer evento dessa grandeza gera desafios. Mas todas as estruturas serão entregues nesse outono e, no máximo, até janeiro, muitos meses antes do início dos Jogos. Nós pudemos antecipar todos os desafios que se apresentaram e queríamos ter certeza de que tudo estaria pronto para o final desse ano. Estamos confiantes que conseguiremos entregar todas as estruturas dos Jogos. Estamos à frente dos prazos.

6 – Vem acompanhando o desenrolar da Copa do Mundo e do Rio 2016?

Estou nesse cargo há duas semanas, mas estou me atualizando com o que está acontecendo em outros países, como os Jogos da Commonwealth, os Jogos Olímpicos do Rio... Acompanho esses eventos porque eles me dão boas indicações do que pode acontecer aqui em Toronto. Quando pegamos eventos tão grandes e internacionais, sempre existirão desafios. Mas eu acho que a coisa mais importante é o resultado final. Eu consigo ver que a Copa do Mundo é um sucesso, as pessoas estão muito felizes.

7 – Como explica a mudança no orçamento dos Jogos?

O governo provincial trabalhou nos investimentos em infraestrutura e, uma porção dos custos, foi investida pelo governo federal. O número agora é em torno de US$ 2,4 bilhões.

8 – O orçamento sofrerá alterações?

Ele pode mudar... Os orçamentos podem mudar a todo o momento. Mas antecipar as obras e custos é o nosso objetivo. Mas, é claro, eu vejo o fato de que é possível tudo mudar, nós orçamos os valores e o governo provincial se comprometeu a arcar com os gastos excedentes. Dissemos isso em 2007, 2008 e estaremos aqui para apoiar.

9 – Acredita que os Jogos foram um bom investimento?

Sim. Vou te dar um exemplo. O terreno da Vila dos Atletas era um local contaminado. Fizemos o processo de descontaminação e construímos toda a estrutura. Criamos casas próximo à região e agora as pessoas menos afortunadas terão a oportunidade de ter um lar. Estamos muito orgulhosos desse investimento. Quando olhamos para isso, pensamos: “sim, irá nos servir para 26 dias dos Jogos Pan-Americanos e Para-PanAmericanos”, mas o verdadeiro beneficiado com isso será o povo de Ontario. É um investimento inteligente do nosso governo.

10 – Qual será o uso para a Vila dos Atletas após os Jogos?

Construiremos uma YMCA (academia) de 82 mil metros quadrados que beneficiará milhares de pessoas. Além disso, criaremos 234 moradias para as pessoas da região. Estamos muito felizes com isso, porque recuperamos um terreno contaminado e transformamos em um bom investimento.

11 – Com as dívidas da Província de Ontario, os Jogos não excederam os limites de gastos?

Se você parar para pensar, estamos investindo em infraestrutura para gerações futuras, teremos novas instalações capazes de receber jogos internacionais, teremos um aumento na economia de 3.6 bilhões de dólares. Vemos tudo isso como um benefício para a cidade de Toronto. 26 mil empregos serão criados para esses Jogos, então estamos investindo no futuro.