icons.title signature.placeholder Maurício Oliveira
03/04/2014
13:37

O ministro do Trabalho, Manoel Dias (PDT), rebateu as declarações do superintendente do Ministério do Trabalho e Emprego, Luiz Antonio de Medeiros, seu subordinado.

Por meio da assessoria de imprensa do ministério, Manoel Dias afirmou que não deu autorização para Medeiros falar em nome da sua pasta.

“O único respaldo que o ministério deu ao superintendente Medeiros foi fazer a fiscalização nas obras dentro do que determina a lei e, se possível, dentro de um entendimento com a empresa responsável pelas obras (a Odebrecht).”

Disse ainda que, sobre as declarações do superintendente, “ele pode ter se expressado mal”.

Em entrevista ao jornal “Folha de S. Paulo”, Medeiros disse que se não fosse a Copa do Mundo, as obras na Arena Corinthians seriam paralisadas.

– Se esse estádio não fosse da Copa (do Mundo), os auditores teriam feito um auto de infração por trabalho precário e paralisado a obra. Estamos fazendo de conta que não vemos algumas coisas irregulares. Isso é trabalho precário. Não vamos nem entrar neste assunto porque vai atrasar ainda mais a obra. Falei com o ministro e ele deu respaldo. Estamos fazendo de conta que não estamos vendo.

Medeiros se reuniu na manhã desta quinta-feira com engenheiros da Fast Engenharia, responsável pela montagem das arquibancadas provisórias do estádio. Em uma delas, no último sábado, morreu Fabio Hamilton da Cruz, de 23 anos, o terceiro operário morto nas obras da Arena Corinthians.