icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
08/03/2014
12:02

A ação promovida pelo Sindicato dos Atletas de São Paulo contra o Corinthians, que pede uma indenização de R$ 6,2 milhões aos 31 jogadores pela invasão ao CT, quase foi evitada.

O LANCE!Net apurou que, antes da consumação da ação, houve uma reunião no Ministerio Publico do Trabalho para que se tentasse chegar a um consenso sobre a culpabilidade naquela manhã de 1º de fevereiro.

Diante dos procuradores do MPT, representantes do Sapesp e do Corinthians debateram sobre causas e efeitos daquele ato de intolerância dos mais de cem torcedores. De acordo com uma das pessoas ligadas ao clube, argumentos foram dados para provar que não havia o que fazer diante da intenção dos vândalos.

Até mesmo a falta de um muro maior foi colocada como possível causa, explicada pelos representantes corintianos como impossível por conta da área ser ambiental, impossibilitada de construção da mesma. Sem acordo entre as partes, o Sindicatos dos Atletas resolveu acionar o Corinthians na Justiça do Trabalho.

O LANCE!Net tentou falar com o Ministério Público do Trabalho. A assessoria de imprensa do órgão, porém, informou que os procuradores irão se pronunciar apenas após a definição da ação. A reportagem tentou também falar também com o Sindicato dos Atletas, mas tanto seu presidente, Rinaldo Martorelli, quanto Washinton Rodrigues de Oliveira, um dos advogados responsáveis pelo processo, não atenderam as chamadas telefônicas.