icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/12/2013
11:10

Ainda nas quartas de final da última etapa do circuito em Banzai Pipeline, no Havaí, o australiano Mick Fanning confirmou o título mundial de surfe da temporada 2013. Mesmo assim, quem brilhou neste sábado foi Kelly Slater, que foi o único atleta do dia a ganhar nota 10, durante a semifinal.

A pontuação perfeita era a meta de Slater para conquistar seu 12º troféu no torneio, mas, como Fanning também venceu duas baterias, ambas de virada, atingiu 34.400 pontos e ficou inalcançável na tabela, confirmando o tricampeonato.

- Eu nunca imaginei fazer parte de uma lista com nomes como Tom Curren e Andy Irons. O Tom é como um enigma e foi fundamental para injetar estilo no nosso esporte. E o Andy... o que dizer sobre o Andy? Ele era uma lenda e um bom amigo. Sinto-me honrado e feliz por fazer parte deste grupo - declarou o surfista.

Diante do americano CJ Hobgood, Fanning caiu no drop em todas as suas tentativas e ficou para trás nas notas. Faltando dois minutos para o término da prova, o australiano surfou o primeiro tubo que recebeu nota 9,5, que resultou na virada por 12,00 a 10,50.

- Não foi fácil. Se você quer ganhar um título mundial você tem que arriscar tudo. Eu fiquei atrás por 28 minutos até entrar a joia do dia. Eu ouvi todos assobiando na praia e sabia que ia ser uma boa. Ele (CJ) já entrou rodando no segundo reef e eu estava no lugar certo para pegar o tubo. Foi um momento mágico para mim.

Na primeira quarta de final, contra o australiano Yadin Nicol, que o deixou na repescagem e teria a chance de conseguir a última vaga para o Circuito Mundial de 2014 caso vencesse o Pipe Masters, Fanning saiu na frente com 7,33 em um tubo.

Nicol abriu vantagem com duas ondas seguidas de 9,33 e 7,57. No entanto, mais uma vez Fanning conseguiu aproveitar os minutos finais da prova para surfar um tubo incrível, que rendeu um 9,7, fechando a série em 17,03 a 16,90 e garantindo o tricampeonato.

- O título mundial é algo que leva um ano inteiro, mas às vezes parece se resumir ao último dia da etapa final. Eu sabia o que precisava fazer, se a oportunidade surgisse. Ela só veio no final das duas baterias e é uma sensação incrível conseguir isso assim. Competi durante o ano todo e conquistar o título em um dia com condições clássicas como este em Pipeline, o torna muito mais especial - concluiu o australiano.

Miguel Pupo foi o melhor colocado entre os brasileiros que competem no circuito, terminando em nono lugar, o mesmo do ano passado.