icons.title signature.placeholder Caio Carrieri, Eduardo Mendes, Mauricio Oliveira e Thiago Salata
16/06/2014
18:00

É nítido o bom ambiente vivido pela seleção do México em território brasileiro. Além da grande presença de torcedores pelo país, especialmente em Fortaleza (CE), palco do jogo desta terça-feira diante do Brasil, no Castelão, a vitória na estreia sobre Camarões, por 1 a 0, deixou o clima ainda mais leve no elenco.

Depois de passar por crise, trocar o técnico e só conseguir vaga no Mundial em repescagem contra a Nova Zelândia, a Tri passa por um momento totalmente diferente do vivido há um ano, quando a Seleção Brasileira venceu por 2 a 0 na Copa das Confederações, então com José Manuel de la Torre no comando. Claro que a vitória por 1 a 0 na estreia, sobre Camarões, na Arena das Dunas, ajuda.

Na tarde desta segunda-feira, o México fez o reconhecimento do gramado do Castelão. Como na maioria das equipes, a atividade só foi liberada pelo período de 15 minutos, tempo mínimo exigido pela Fifa a um dia dos jogos. Mesmo assim, notou-se descontração entre os jogadores desde o aquecimento até a tradicional roda de bobinhos para aquecimento.

Nesta parte do treinamento, muitos sorrisos, brincadeiras, palmas e gritos para caçoar de um colega quando este errava um toque e tinha de ir para o centro da roda tentar interceptar o passe dos companheiros.

A tendência é que o carismático técnico Miguel Herrera mantenha a mesma formação da primeira partida, que foi a seguinte: Ochoa, Rodríguez, Héctor Moreno e Rafa Márquez; Aguilar, Herrera, Vázquez, Guardado e Miguel Layún; Giovani dos Santos e Peralta.