icons.title signature.placeholder Thiago Fernandes
27/03/2014
08:25

O desejo de Willian de permanecer no Cruzeiro é público. Desde o início do ano, ele reforça a vontade de ficar na Toca da Raposa 2 ao término do contrato de empréstimo, que se encerra em julho. Interessado na manutenção do atacante, o clube mineiro ainda não procurou o Metalist Kharkiv (UCR) para tratar da manutenção, o que pode fazer com que ele retorne ao leste europeu.

Representante dos ucranianos no Brasil, Jader Brazeiro revela que não foi contatado pela diretoria cruzeirense. Ele, no entanto, garante que há tempo para hábil para a resolução do negócio.

– Na verdade, o Cruzeiro ainda não nos procurou. Ele tem contrato até o meio do ano e o clube tem tempo para manifestar o desejo de compra dos direitos do jogador – disse, ao LANCE!Net.

Embora a permanência em Belo Horizonte seja a pretensão do atleta, existe a possibilidade de retorno à Carcóvia, já que o técnico Myron Markevych, desafeto de Willian, deixou o clube no mês passado.

– Há a possibilidade de ele retornar ao Metalist Kharkiv. O antigo treinador não o curtia muito, mas o presidente e os outros profissionais gostam muito do Willian. O retorno não está descartado – explicou o Brazeiro, revelando que há outros interessados na contratação do atacante:

– Tem muitos clubes interessados na contratação do Willian. Mas ainda não podemos falar, porque ele tem contrato com o Cruzeiro.

O imbróglio político na Ucrânia, envolvendo a deposição do chefe de estado Viktor Yanukovich, acarretou na fuga de Sergey Kurchenko, presidente do Metalist Kharkiv. O fato, contudo, não atrapalharia as conversas com o Cruzeiro, segundo Jader Brazeiro.

– A situação na Ucrânia não atrapalha em nada o retorno dele. É uma situação política, não envolve o Metalist – concluiu.

Caso a Raposa tenha interesse em contar com Willian em definitivo, terá que desembolsar € 4 milhões (equivalente a R$ 12,8 milhões). Esta seria a segunda maior contratação da história do clube, atrás somente do zagueiro Dedé, que custou € 5,5 milhões (R$ 14 milhões à época).