icons.title signature.placeholder Luiz Gustavo Moreira, Mariah D'Ávilla e Walace Borges
24/11/2013
14:33

Quando chegou ao Botafogo, Rafael Marques afirmou que sonhava em, um dia, vestir a camsia da Seleção Brasileira. Hoje, um ano e meio depois, ele mantém a chama acesa, apesar de reconhecer que ser chamado por Luiz Felipe Scolari é praticamente impossível.

- Acho que temos de manter esse sonho em mente. Sempre traçamos objetivos na vida pessoal e também na profissional. Hoje não é o ideal para isso, mas quem sabe no futuro? Vou continuar focado nisso. É um objetivo que quero alcançar. Todo jogador quer chegar à Seleção, defender o nosso país com a amarelinha. Espero que ainda posso conquistar esse sonho - afirmou o atacante ao LANCE!Net, lembrando ter dupla-nacionalidade turca:

- Virei turco quando joguei lá. Teve um comentário e uma entrevista com o treinador da época (Fatih Terim) e perguntaram sobre mim. Aí ele disse que se tivesse a possibilidade, me convocaria. Isso porque o atacante da época era o Hakan Sukur e não tinha jogadores da minha característica. Só que depois disso eu fui para o Japão e perdi muito contato com o pessoal de lá. Estou disposto de jogar pela Seleção Brasileira mas porque não na Turquia?