icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
15:33

O ataque do Santos no Campeonato Paulista deste ano está arrasador. Já são 43 gols em 16 jogos, 30 deles na Vila Belmiro, onde o Peixe disputou nove jogos e mantém aproveitamento máximo. Curiosamente, em alguns dos placares mais elásticos conquistados, nem sempre a equipe da Baixada Santista obteve maior posse de bola do confronto. Números servem para confirmar a fama de rápido e letal que o ataque do time ganhou neste início de temporada.

Na primeira goleada do ano, a vítima foi logo o Corinthians. A partida terminou em 5 a 1 para o Santos e a posse de bola foi de 50% para cada lado. Uma rodada depois, o placar se repetiu, mas dessa vez quem sofreu foi o Botafogo. Na partida, o Peixe terminou com 58% de posse, contra 42% do tricolor de Ribeirão Preto.

Já na parte final da fase de grupos, na goleada que o Peixe aplicou no Bragantino, por 5 a 0, o time teve posse digna de Barcelona. Em 68% do tempo, a bola ficou nos pés santistas, e somente 32% com o Massa Bruta. Esse foi o último jogo na Vila Belmiro em que o Santos reteve mais a bola que seus adversários.

Contra o Oeste de Itápolis, o Santos não teve dificuldades para vencer por 4 a 1, mas quem foi ao estádio naquele jogo viu o time do interior ter mais posse de bola do que os Meninos da Vila: 52% do tempo, contra 48% para o Peixe.

Na última rodada da primeira fase, o clássico contra o Palmeiras era fundamental para decidir qual equipe teria a melhor campanha na classificação geral antes do mata-mata. A partida foi mais difícil e o placar apertado: vitória do Peixe por 2 a 1. No entanto, novamente a posse foi maior do time visitante. O Verdão teve a bola em seus pés em 54% do jogo, contra 46% da equipe do litoral.

Na última quarta-feira, a partida eliminatória de quartas de final contra a Ponte Preta foi superada sem sustos. O Santos goleou mais uma vez: 4 a 0 na Macaca. O time campineiro teve 59% da posse de bola, contra 41% do Peixe.

A maioria dos gols santistas são feitos em jogadas rápidas e de contra-ataques. O time segura pouco a bola no campo ofensivo e procura partir para a definição o quanto antes. A principal característica da equipe é chegar para definir, e o bom aproveitamento de finalização dos Meninos da Vil, permite ao Santos atropelar os adversários mesmo sem muita posse.