icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi
13/11/2013
13:07

As meninas de Urucará representam o estado do Amazonas na terceira divisão do handbol nos Jogos Escolares da Juventude, que acontecem em Belém (PA) até o dia 16 de novembro. Para chegarem até o evento estudantil, porém, elas passaram por algumas barreiras. Uma delas foi a viagem de quase 24h rumo à capital paraense. A fase de classificação também foi um sufoco. Elas não venceram a final estadual, mas, como uma irregularidade foi encontrada na equipe classificada, a vaga ficou para a escola estadual Balbina Maestrinho, que havia ficado em segundo lugar. Muitas delas viajaram de avião pela primeira vez, e outras nunca tinham sáido do município.

- Saímos de lancha e depois pegamos um ônibus até a capital. Só aí fomos pegar o avião. Foi bem cansativo, não dormirmos direito. Mas estamos felizes em representar o estado e estamos dando o melhor de nós. Não temos muito incentivo. Quem incentiva é nosso professor e nossa família. Passamos por muitas dificuldades até chegar aqui, mas chegamos - ressaltou a atleta Marcielen Silva.

Além das barreiras para chegarem aos Jogos Escolares, as meninas afirmaram que sofrem muito prenconceito do próprio estado, por serem do interior.

- Sofremos muito preconceito. Muitos da capital nos chamam de lixo por sermos do interior, mas estamos aqui representando o nosso estado, isso é muito importante. Queremos mostrar o potencial de todas. Somos de Urucará com muito orgulho - disse Ceiliane do Santos, que ficou impressionada com a estrutura do evento organizado pelo Comitê Olímpico Brasileiro.

A equipe perdeu o segundo jogo nesta quarta-feira, desta vez, para o estado de Goiás, por 23 a 18, e não disputará medalha. A tristeza foi muita fora do ginásio. Porém, o aprendizado e a experiência de terem passado por toda essa trajetória ficam.

- Passamos por novas experiências e nos superamos. É ruim não poder entrar para ajudar o time quando precisa, mas todas deram o melhor - finalizou Nayra Matias, que ficou de fora do último jogo com dores no ombro.

*A repórter viaja a convite do COB