icons.title signature.placeholder Murilo Dias e Luiz Fogaça
09/06/2014
08:05

A camisa 10 do Palmeiras não é algo para qualquer jogador. Com a eventual saída de Valdivia, a responsabilidade da armação do Alviverde fica nas mãos dos meias Mendieta e Bruno César. O camisa 8, que pede chances de mostrar seu potencial no Verdão, já atuou em 19 jogos na temporada de 2014, sendo 11 como titular. Seu “rival” chileno jogou em 16 oportunidades, 15 delas na equipe inicial.

O paraguaio atuou como titular nas últimas cinco partidas do time no Brasileirão, pois Valdivia já estava concentrado com o Chile, se preparando para a Copa do Mundo. Nestes jogos, o Alviverde ganhou duas partidas, perdeu outras duas e empatou uma. Nas quatro primeiras rodadas, com Mago à disposição para jogar, o time do Palmeiras venceu e perdeu dois jogos. Além de não engrenar no time, Mendieta perde para Valdivia nos números.

Mais empenhado na marcação, o chileno desarmou 97 vezes em 2014, com média de 6,06 por partida contra 65 do paraguaio (média de 3,4). Ainda, atuando em menos jogos, o Mago acertou 514 passes (média de 32,2), contra a média de 18,42 de Mendieta. Bruno César é alteta bo elenco do Palmeiras que pode fazer a função.

Contratado como esperança, o meia se recuperou de lesão na coxa direita e deve estar à disposição na volta do Brasileirão. Com status de craque, o camisa 30 foi apresentado fora de forma e sofreu para se firmar. Esbarrou em lesões e atuou em apenas 11 jogos no ano, sendo autor de dois gols. Todavia, é o que mais acerta finalizações, comparado com seus “rivais” de posição.

Acostumado com craques em seu setor de meio de campo, o Palmeiras em 2014 tenta, aos trancos e barrancos, engatar seu time. O Verdão, porém, ainda não sabe quem será o responsável pela armação no segundo semestre do ano de seu centenário.