icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
29/07/2013
17:07

A falta de gols no Brasileirão tem dado o que falar no Corinthians. Com o pior ataque da competição, com seis tentos em nove partidas, a equipe do técnico Tite ainda não engrenou. Para Paulo André, é hora de os atacantes abrirem um pouco mão de marcar na frente para ter mais fôlego na hora das jogadas ofensivas.

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, o zagueiro também explicou que a falta de gols também passa pelo setor defensivo, que precisa ter uma saída de bola com mais qualidade. Por outro lado, o Timão é a melhor defesa do campeonato, com cinco tentos sofridos.

- Os atacantes ajudam muito na marcação. Por isso, temos a defesa menos vazada. Talvez tenhamos de ajudar mais também no ataque. Não no sentido de avançar com a bola, mas talvez permitir que eles voltem menos e tenham mais perna para atacar. Também temos que sair com mais qualidade para que os atacantes recebam a bola em condições melhores - afirmou.

Sobre o fato de o São Paulo, rival do último domingo, ter jogado de forma mais defensiva, Paulo disse que o Corinthians precisa se preparar contra retrancas para que novos 0 a 0 não aconteçam dentro de casa.

- Os times continuarão a vir assim ao Pacaembu. A gente ainda é o time a ser batido pelo que ganhamos nos últimos anos. Então, precisamos nos ajustar. Já tivemos dificuldade no Campeonato Paulista para desfazer esse tipo de marcação e ganhar as partidas - concluiu.

Na 11ª posição do Brasileirão, o Timão volta a campo nesta quarta-feira, contra o Grêmio, mais uma vez no Pacaembu.

A falta de gols no Brasileirão tem dado o que falar no Corinthians. Com o pior ataque da competição, com seis tentos em nove partidas, a equipe do técnico Tite ainda não engrenou. Para Paulo André, é hora de os atacantes abrirem um pouco mão de marcar na frente para ter mais fôlego na hora das jogadas ofensivas.

Em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, o zagueiro também explicou que a falta de gols também passa pelo setor defensivo, que precisa ter uma saída de bola com mais qualidade. Por outro lado, o Timão é a melhor defesa do campeonato, com cinco tentos sofridos.

- Os atacantes ajudam muito na marcação. Por isso, temos a defesa menos vazada. Talvez tenhamos de ajudar mais também no ataque. Não no sentido de avançar com a bola, mas talvez permitir que eles voltem menos e tenham mais perna para atacar. Também temos que sair com mais qualidade para que os atacantes recebam a bola em condições melhores - afirmou.

Sobre o fato de o São Paulo, rival do último domingo, ter jogado de forma mais defensiva, Paulo disse que o Corinthians precisa se preparar contra retrancas para que novos 0 a 0 não aconteçam dentro de casa.

- Os times continuarão a vir assim ao Pacaembu. A gente ainda é o time a ser batido pelo que ganhamos nos últimos anos. Então, precisamos nos ajustar. Já tivemos dificuldade no Campeonato Paulista para desfazer esse tipo de marcação e ganhar as partidas - concluiu.

Na 11ª posição do Brasileirão, o Timão volta a campo nesta quarta-feira, contra o Grêmio, mais uma vez no Pacaembu.