icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
27/11/2014
11:57

Para Deco, brasileiro naturalizado português, Cristiano Ronaldo, ex-companheiro dele nos tempos em que defendeu a seleção portuguesa, merece o título de melhor jogador do mundo na temporada 2014. De acordo com o ex-jogador de Porto e Barcelona, que encerrou a carreira ano passado, quando atuava no Fluminense, o atacante do Real Madrid teve um ano superior ao de Messi, com quem jogou na Catalunha.

- Cristiano teve um ano melhor do que o do Messi, agora, merecer ou não, depende. Teve jogadores da Alemanha (campeã da Copa 2014)... Mas se for disputar apenas os dois, Cristiano teve um ano melhor. Mas se o Messi ganhasse a Copa talvez estivéssemos falando outra coisa - afirmou Deco, ao LANCE!Net, ressaltando que não fica divido pelo fato de ter bom relacionamento com os os candidatos ao troféu dado pelo Fifa ao fim de cada ano:

- Não fico em cima do muro. É uma questão de gosto. São jogadores completamente diferentes, é difícil compará-los. É difícil dizer: "este é o melhor". Você pode gostar mais de pela técnica de um ou pela força do outro. A seleção do melhor do mundo deve ser pelo melhor do ano, em função do que o jogador fez. Tiveram anos em que o Messi foi melhor outros o Cristiano. Em outros, porém, teve jogador melhor que os dois e não ganhou o troféu.

Deco tem 37 anos e atualmente trabalha como empresário. Nesta semana, ao lado do ex-companheiro de Barça, Edmilson, participou de um evento de um patrocinador do clube catalão no Rio de Janeiro. Revelado no Corinthians, o ex-jogador atuou, além Barcelona, Porto e Fluminense, o ex-meia defendeu equipes como Benfica, Chelsea, CSA, de Alagoas, dentre outras.

BOLA DE OURO DA FIFA

Messi, que ganhou a Bola de Ouro - prêmio dado pelo Fifa ao jogador eleito como o melhor do mundo, por quatro vezes, e Cristiano Ronaldo, que venceu por três vezes a eleição, são os principais nomes da disputa de 2014. Os três finalistas serão conhecidos no próximo 1º de dezembro, enquanto o vencedor será anunciado em uma cerimônia especial, no dia 13 de janeiro do ano que vem, em Zurique (SUI), sede da entidade.

As indicações ao prêmio são feitas através de uma seleção do Comitê de Futebol da Fifa, além de um grupo de jornalistas da revista francesa 'France Football' (promotora da premiação junto com a entidade máxima do esporte). Primeiramente são escolhidos 23 nomes e depois ficam somente os três finalistas. Neymar é o único brasileiro que concorre ao troféu.