icons.title signature.placeholder Felippe Rocha
16/02/2015
07:03

O bigode, o carinho da torcida e a antiga relação com o presidente do clube não deixam enganar. Valdir é um personagem importante na história do Vasco. Após duas passagens como jogador, ele recebeu, no fim do ano passado, o convite para voltar ao clube como auxiliar técnico da comissão permanente. E, em conversa com o LANCE!Net, o ex-atacante garante que não terá dificuldade neste retorno à velha casa:

– É a terceira passagem, agora de uma forma diferente. Não deixa de ser uma volta para casa, um retorno. Iniciei aqui profissionalmente, grande parte da minha vida está aqui dentro. Estou bem tranquilo. Sei os caminhos, mesmo com a responsabilidade, eu sei levar. Sou do meio, sou da bola, não vou ter grandes dificuldades.

A história de Valdir Bigode não deixa mentir. Parte importante do tricampeonato carioca (1992-93-94), ele foi artilheiro do Estadual duas vezes (1993 e 2004). Rafael Silva, por exemplo, o chama de mestre e busca conselhos com quem deu tantas alegrias à torcida. Porém, o agora auxiliar garante que as palavras  saem de forma natural:

– Na verdade, ensinar a jogar futebol, a fazer gols, não é a minha função. Você não consegue ensinar o jogador, o jogador já sabe. Não vou pegar, por exemplo, meu filho, que não sabe jogar bola, e passar isso para ele. Não dá. Agora, o Rafael é novo. Eu já vi as coisas mil vezes, ele dez. Se eu não sei nada, imagina ele. É mais tranquilo passar pontos para os jogadores melhorarem, se eles derem abertura. Também os oriento na vida, de um modo geral. Mas eles procuram, sabem o que o Valdir representa para o Vasco.

A missão de Valdir está apenas começando. Mas a Colina ele conhece muito bem.