icons.title signature.placeholder Thaís Carvalho
06/02/2015
10:03

Todos os holofotes estão voltados para Gabriel Medina desde que ele se tornou o primeiro brasileiro a vencer o Campeonato Mundial de Surfe (WCT), mas engana-se quem pensa que o surfista de 21 anos é o único representante da geração na elite do esporte.

John John Florence, havaiano de 22 anos, é visto como uma das promessas do circuito do WCT, assim como Gabriel Medina era tratado antes do título mundial. Agora, já com um campeonato no currículo, o surfista de Maresias acha que Florence pode sofrer pressão na corrida pelo título, mas acredita que esse será um fator motivador.

- Pode ser uma pressão para o lado bom, pode dar mais vontade para ele, mais motivação para buscar esse título. E ele é uma cara cheio de talento, é um ano mais velho que eu e tem tudo para ser campeão mundial - analisou Gabriel, em entrevista ao LANCE!Net.

Em 2014, Florence ficou na terceira colocação geral do WCT, com 51.400 pontos e uma vitória na etapa de Hossegor, na França. Medina terminou a temporada com 62.800.

Brasileiros no WCT

Medina também não está sozinho quando o assunto é a representação do Brasil no WCT. Ele faz parte do grupo de surfistas do país conhecido mundialmente como 'Brazilian Storm' (tempestade brasileira) ao lado de nomes como Filipe Toledo, Adriano de Souza, o Mineirinho e Miguel Pupo.

E quando perguntado sobre a possibilidade de outro brasileiro conseguir chegar ao topo do surfe nos próximos anos, Medina se mostrou confiante nos compatriotas.

- Acho que temos sete atletas no WCT hoje e eu acredito em todos eles. O Mineiro, o Filipinho, o Miguel, enfim, todos têm capacidade de ganhar um evento, dois eventos e ser campeão mundial. E eu acho que o Brasil está sendo bem representado. É uma geração boa, eu tenho orgulho de fazer parte disso tudo - afirmou Medina.