icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
15/06/2014
12:20

Foram oito jogos, 28 gols, nenhum 0 a 0 e uma média de 3,5 bolas na rede por partida. O começo animado da Copa do Mundo de 2014 também traz um prognóstico ainda mais positivo para a Fifa em relação à audiência do Mundial.

- Pessoalmente acho que isso é muito bom para a audiência. Como evento esportivo, a maioria das pessoas querem ver gols. Uma pessoa que não entende muito não acharia um 0 a 0 tão atrativo. Com gols, é sempre muito bom para a audiência - disse o diretor de TV da Fifa, Niclas Ericson, em encontro com os jornalistas neste domingo, no Maracanã.

A expectativa é de um resultado para justificar o aumento do investimento da entidade com a produção televisiva. Ericson ainda não sabe precisar o valor exato que foi gasto, mas passou um panorama.

- O relatório anual da Fifa estará disponível mais adiante. Mas o que podemos dizer é que tivemos um custo em 2010 de US$ 50 milhões. Acredito que aumentamos aqui em 40%. Isso tem a ver com a variação cambial. mas posso dizer que estamos investindo de forma significativa. Nessa preparação, tivemos também 20% a mais de sedes. O custo no Brasil é mais caro. Todos os números aqui são mais elevados que na África do Sul - acrescentou.

O diretor de TV da Fifa ainda acrescentou que a busca pela audiência não influencia na montagem da tabela das partidas.

- A divisão de competições da Fifa decide a tabela de horários. A TV não tem influência nessa decisão. Os jogos só não podem se sobrepor. Ontem (sábado), tínhamos quatro partidas durante o dia e elas precisaram de cobertura. No jogo de ontem, entre Itália e Inglaterra, teve recorde na BBC e na RAI, era no meio da noite e ainda assim tivemos uma audiência muito boa. Qualquer que seja o horário, a audiência vai ser boa - explicou.

Segundo a Fifa, a vitória dos italianos teve 12,8 milhões de espectadores na Itália. Na Inglaterra, o número foi mais expressivo ainda: 14,2 milhões, a maior audiência do ano no Reino Unido.