icons.title signature.placeholder Luis Fernando Coutinho
07/11/2014
20:10

Ian McCall sabe como chamar a atenção do público. Ele se veste bem, é um lutador de alto nível e, claro, tem um bigode para lá de chamativo. Antes de se apresentar no UFC de Uberlândia, que acontece neste sábado, o americano conversou com o LANCE!Net sobre o desafio contra John Lineker - que pode definir o próximo desafiante ao cinturão dos moscas - e ainda falou sobre assuntos como a torcida brasileira, a necessidade de lutadores tratarem o MMA como um negócio, o bigode estilo, entre outras coisas.

O americano foi questionado sobre sua opinião em relação a torcida brasileira depois que publicou em seu Twitter um elogio colocando os irlandeses acima dos fãs tupiniquins. Ele explicou e ainda criticou severamente os americanos. 

- Vou ser honesto. Os fãs brasileiros são incríveis, mas o fãs irlandeses foram barulhentos na Irlanda. É mais ou menos o mesmo tamanho dessa arena. Então, esperançosamente, fãs brasileiros, vamos lá, sejam mais barulhentos. Acho que eles bateram 150 decibéis de volume. Então eles tem de ser barulhentos, bêbados e selvagens. O Brasil, agora, na minha cabeça, está em segundo lugar como torcedores mais loucos. Eles podem ser os primeiros, têm apenas de se esforçar mais. Sobre a pressão da torcida, não falo português. Não me importo com o que dizem. Eu acho legal que vocês torçam pelo seu país. Quem me dera os americanos fossem mais assim. Os americanos são... americanos estúpidos, como de costume. Eles fazem tudo o que é estúpido. Mas isso não me afeta num sentido negativo. Energia em geral é bom. Eu posso transformar isso em coisa boa para a minha pessoa - explicou o lutador.

Confira outros tópicos da entrevista:
Você acha importante um lutador se vestir bem hoje em dia? 
É isso o que acontece. Temos de ficar mais relacionáveis no mundo dos negócios. Sei que nossa geração gosta de vestir calções e sandálias de dedo, mas as pessoas no controle usam ternos. É um pouco divertido usar terno. Você se veste e sente que cresceu ao menos uma vez. É bom para os negócios.

E quanto ao seu bigode?
É algo bobo. Comecei de forma boba, assim como meu apelido. Algo que aconteceu há muito tempo atrás e que não posso mudar. Começou como uma piada, cresceu e foi isso.

McCall recebeu a imprensa com estilo (FOTO: Luis Fernando Coutinho)

Já pensou em tirar?
Eu cortei uma vez, entrei na academia e todos estavam como: "O que você está fazendo? Aquilo te faz ganhar dinheiro. Coloque de volta" Isso está nas minhas camisas, tenho um patrocinador que é um produto de cabelo, um gel de bigode... São negócios de novo.

Você acha que uma vitória contra o Lineker te garante uma chance pelo cinturão? 
Tanto faz. Se eu ganhar a chance pelo cinturão, ótimo. Se eles não arrumarem não vou me preocupar com isso. Estou aqui para fazer meu trabalho e bater John Lineker da pior forma possível. Preciso de uma finalização, ainda não finalizei no UFC, então sei que posso finalizá-lo ou nocauteá-lo. Ele já se machucou antes. Não acho que seja algo fora do alcance. Acho que é bem plausível.

Mensagem aos brasileiros
Eu amo vocês. Vocês podem me odiar por aqueles 15 minutos, eu permito isso. Podem gritar que vou morrer, o que vocês quiserem. Mas ainda amo vocês