icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/04/2014
19:08

O faro de gol do argentino Maxi Biancucchi ainda não funcionou em 2014. Contratado pelo Bahia, após viver boa temporada pelo rival Vitória, o atacante era a esperança dos Tricolores para o setor ofensivo. No entanto, em 11 jogos disputados pelo Bahia, o primo de Messi não balançou as redes.

Questionado pela má fase ofensiva, o argentino afirma que não se incomoda com o jejum de gols, lembrando que tem mais de uma função no elenco tricolor.

- Lógico que tenho vontade de fazer gol. No ano passado, tive uma sequência boa, e me perguntavam se eu queria ser artilheiro do Brasileiro, gerou uma expectativa muito boa. Eu falei a mesma coisa que vou falar agora: o gol é consequência do jogo que você faz. Não necessito do gol. Eu quero ajudar. Estou participando muito da parte tática. Estou fazendo uma função diferente, estou marcando mais. Se estou ajudando, estou feliz. Tenho certeza que uma hora eu vou fazer o gol. Não me tira o sono.

A mudança de função já rendeu benefícios ao argentino, que lembra de uma importante assistência na final do Campeonato Baiano, conquistado pelo Bahia.

- Eu não tenho só o gol para dar ao Bahia. Estou ajudando das mais diferentes formas. No primeiro Ba-Vi da final, por exemplo, eu dei a assistência para o Talisca.

Maxi Biancucchi volta aos campos neste domingo (27), quando o Bahia enfrenta o Figueirense na Arena Barueri, em São Paulo, às 18h30 da noite, pela segunda rodada do Brasileirão.