icons.title signature.placeholder Rodrigo Vessoni
11/07/2014
09:29

Mascherano não é craque. Longe disso. Mas não há como negar que seu desempenho defensivo e sua liderança – dentro e fora de campo – foram tão vitais quanto às jogadas de Messi durante a campanha que garantiu a equipe na decisão da Copa do Mundo.

O volante virou uma espécie de símbolo dessa Argentina que não consegue brilhar mesmo tendo um dos melhores do mundo com sua camisa 10, mas que vende caro qualquer derrota para os adversários. Não, por acaso, a equipe de Sabella chega à final contra a Alemanha, neste domingo, sem derrota.

E MAIS
- Jogadores da Argentina ignoram e ironizam torcida de Neymar
- 'Casa' de hermanos no Rio, Terreirão do Samba já atinge lotação máxima

Contra a Holanda, Mascherano foi eleito pela imprensa de seu país como o melhor em campo. Imprensa essa que fez do lance com Robben, nos minutos finais do tempo normal, uma espécie de exemplo perfeito dessa postura combativa.

O atacante holandês saiu cara a cara com o goleiro Romero e, quando chutou, viu Mascherano escorrer e tirar a bola. O carrinho, que o fez virar astro da internet, garantiu o placar em branco após 90 minutos e resultou num comentário inusitado por parte do camisa 14.

– Não quero ser grosseiro, mas rasguei o ânus na jogada com Robben. Por isso a dor. Este grupo de jogadores levou a Argentina aonde ela deve estar. Tomara que possamos nos consagrar no domingo. O objetivo era estar na final e ele se cumpriu – comentou o jogador, após a vitória argentina nos pênaltis, por 4 a 2.


Mascherano, emocionado, celebra vaga com Messi (Foto: Odd Andersen/AFP)

Mascherano parece querer fazer desse Mundial sua resposta aos críticos. Afinal, nos últimos anos, se viu como alvo de comentários irônicos por fazer parte, com sua função de marcação, obviamente, de uma das mais técnicas e incríveis equipes da história, o Barcelona de Pepe Guardiola. A frase "O que ele faz aí no meio de tantos jogadores bons?" sempre o irritou. Hoje, virou 'o cara'.