icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/11/2014
11:43

Autoridades do futebol africano devem decidir nesta segunda-feira se a Copa Africana de Nações será disputada na sua data original, do dia 17 de janeiro ao dia 8 de fevereiro. O Marrocos, sede da competição, voltou a pedir o adiamento em reunião com Issa Hayatou, presidente da CAF (Confederação Africana de Futebol) e representantes das federações da Argélia e do Egito. A razão é o surto de Ebola, que segue forte no continente.

 - Nossa preocupação é com a saúde da África e, baseado nos documentos e na pesquisa da OMS (Organização Mundial da Saúde), temos que ouvir e analisar se vale a pena. Sei que não há como garantir 100%, mas temos que tomar as necessárias precauções para que o torneio seja uma festa do futebol. Com o surto de Ebola, não temos certeza que haja possibilidades para uma festa - comentou Mohamed Ouzzine, ministro dos Esportes do Marrocos.

Quem discorda do político é o volante Yaya Touré, do Manchester City. O marfinense, reconhecido como o melhor jogador africano do mundo, diz não ter medo do Ebola e pede para que o torneio siga como planejado:

 - Eu? Não tenho medo. Acho que há uma obsessão muito grande sobre o Ebola. A Copa Africana de Nações é muito importante para o continente e precisa ser realizada.