icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
17/12/2013
19:27

Um dia após ter sua contratação oficializada pelo Cruzeiro, Marlone resolveu abrir o jogo. Mas sem querer entrar em polêmica. Em entrevista ao LANCE!Net, o apoiador mediu palavra por palavra para evitar qualquer atrito com o clube que o projetou e, principalmente, com a torcida vascaína.

- A única coisa que posso dizer é que o Vasco teve todas as oportunidades de me manter e o Cruzeiro não mediu esforços. Acreditou em mim e se esforçou. Fico com essa resposta - disse Marlone.

Nos últimos dias, o apoiador foi alvo da ira da torcida, que, por intermédio das redes sociais, o classificou como mercenário.

- Independentemente do que estão falando, sou muito grato a essa torcida. Sempre me respeitaram. Se eles estão me chamando de mercenário ou não agora, serei sempre grato, sempre estiveram do meu lado. Respeito muito eles e a instituição Vasco da Gama. Carregarei essa gratidão pelo resto da vida - comentou ele, garantindo que ainda sente bastante a queda para a Série B:

- Estou sofrendo como torcedor. Não vou falar muito porque tudo o que fala nessa situação repercute. Vou respeitar sempre o Vasco. Fiz parte da campanha, fiz parte do elenco e não pensem que estou saindo alegre. Não. Estou mito triste com a situação. Tentamos de tudo para evitar isso. Não saio chateado com ninguém, mas tem muita coisa negativa saindo sobre o Vasco e quero evitar falar muito para de repente não botar fogo na lenha, porque foi um clube que me proporcionou tudo o que estou vivendo agora.

E MAIS:
> Depois de acerto com o Cruzeiro, Marlone vira alvo de ofensas na web
> Adilson Batista acerta renovação de contrato com o Vasco por mais um ano
> Vasco se reúne com agente de Martin Silva e espera definir goleiro para 2014 logo

Há cerca de três meses o Vasco fez uma proposta ao agente de Marlone para reajustar o contrato dele, aumentando valor de salário e, consequentemente, da multa contratual, consedirada muito baixa (cerca de R$ 6 milhões).  Mas a oferta não foi aceita. Desde então, o nome dele foi envolvido em algumas possíveis negociações, com Santos, Corinthians, Internacional, até chegar ao Cruzeiro. Sempre questionado sobre o fato nos jogos da reta final do Brasileiro, ele seguidamente fazia questão de garantir que desconhecia qualquer situação.

- De coração, com toda sinceridade, eu não estava sabendo de nada. Pedi ao meu agente e a quem cuida dos meus interesses fora de campo para que não me passassem nada. Queria ficar focado no Vasco, em tirar o time daquela situação. Só quando o campeonato terminou que soube, que tinha uma situação concreta para ir para o Cruzeiro - garantiu o ex-camisa 30 do Vasco.