icons.title signature.placeholder Marcio Porto
10/02/2015
07:29

Na reunião de Conselho Deliberativo da noite desta terça-feira, o São Paulo apresentará aos conselheiros uma meta de R$ 50 milhões anuais de receita para ser atingida pelo departamento de marketing do clube. A estimativa é feita com base na reformulação estrutural da diretoria tocada pelo Instituto Áquila, contratado em meados de 2014.

A política de metas foi implantada pelo presidente Carlos Miguel Aidar. No caso do marketing, a chefia é de Douglas Schwartzmann, antigo diretor de comunicação e recém-promovido a vice-presidente de comunicação e marketing. Caso não atinja o objetivo até o fim do ano, Douglas dará lugar a outro dirigente.

Para chegar a esses números, Douglas e seus subordinados precisam encontrar rapidamente um novo patrocinador master para o São Paulo, que desde julho de 2014 está com a camisa limpa devido à saída da Semp Toshiba. A troca de material esportivo da Penalty para a americana Under Armour, prevista para depois do Campeonato Paulista, já ajudará a pasta a cumprir as metas.

O encontro no salão nobre do Morumbi também servirá para que o destino da "Taça das Bolinhas" seja discutido. O troféu é alvo de disputa entre tricolores e flamenguistas há anos e pode ser repassado ao time rubro-negro se os conselheiros mudarem a postura apresentada nos últimos debates.

Outro assunto que estará em voga na reunião é a crise política que reina no clube desde setembro do ano passado. De um lado, Carlos Miguel Aidar e seus pares. Do outro, o ex-presidente Juvenal Juvêncio e seus fiéis aliados: Roberto Natel e José Francisco Manssur. Um suposto acordo com a BWA para repassar a bilheteria do Morumbi em troca das dívidas do São Paulo tem causado mal estar nos bastidores.