icons.title signature.placeholder Alexandre Braz e Rodrigo Ciantar
18/06/2014
07:51

Mario Risso não esconde a felicidade por ganhar uma nova chance no Botafogo, após ter sido deixado de lado, treinando separadamente do grupo principal. Em entrevista ao LANCE!Net, o zagueiro uruguaio admite ter ficado bastante frustrado num primeiro momento, mas que agora está com confiança renovada para mostrar serviço no Alvinegro.

- Quando comunicaram (o afastamento), fiquei triste, pois havia chegado a pouco, pensando em ganhar títulos, fazer história no clube. Depois continuei treinando. Tinha de treinar, porque o futebol é assim: um dia você está sem chances e amanhã pode estar jogando como titular. Tenho de estar preparado - afirmou o uruguaio.

Como mostrado nesta terça-feira pelo LANCE!Net, Risso foi reintegrado por Vagner Mancini, que pretende observar alguns jogadores que não teve oportunidade anteriormente.

- Me sinto bem, feliz, isso era o que queria: estar treinando com a equipe principal e com chance de poder jogar. Espero fazer uma boa pré-temporada agora e merecer uma oportunidade no retorno do Campeonato Brasileiro - disse Risso.

Confira a entrevista completa abaixo:

O Mancini já conversou com você após essa reintegração?
Só nos cumprimentamos quando cheguei, mas nada especial quanto a minha reintegração. Estou trabalhando. Cabe a mim trabalhar. Vamos esperar. Quero jogar no Botafogo.

Teve propostas para sair?
Quando vim, tinha muitas propostas, mas vim porque era para o Brasil, porque o Botafogo é grande, tem história e queria estar aqui. Tenho vontade de jogar aqui, mas sei que posso sair porque fiquei afastado. Mas agora, se faço a pré-temporada e mostro estar bem, poderei receber uma chance e jogar aqui. Se não tiver chance, posso sair, pois tenho 26 anos e preciso jogar. Mas estou com ânimo renovado e quero trabalhar e mostrar que sou capaz de vestir esta camisa.

Como é o contato com os torcedores do Botafogo?
Muita gente quer saber porque não joguei. Eles conhecem mais que está sempre jogando, pois têm mais visibilidade. Mas os que me reconhecem, pois veem fotos, sempre apoiaram. Sempre me abordam na rua com muito carinho.

Quem mais apoiou você neste momento em que foi afastado?
Minha família. Eles me apoiam em tudo. Me diziam para ficar tranquilo e que iria poder mostrar porque estava aqui no Botafogo. A família é fundamental em tudo na vida. Quero estar bem e jogar futebol.