icons.title signature.placeholder Igor Siqueira e Michel Castellar
12/02/2015
12:34

O presidente da CBF, José Maria Marin, não amaciou para o técnico da Seleção sub-20 e coordenador da base brasileira, Alexandre Gallo. No evento que confirmou as sedes indicadas para o futebol olímpico em 2016, o dirigente deixou claro que ficou insatisfeito com o desempenho no Sul-Americano da cateogira e não garante a permanência do treinador nas funções atuais.

- Eu não posso garantir ao Gallo. O que garante a posição de um técnico são os resultados. Se eu não ficar satisfeito até o fim do meu mandato, eu tomo uma medida a qualquer momento. O que eu posso garantir é que, por tudo aquilo que fizemos, não fiquei satisfeito com o resultado, com as atuações da Seleção - disse Marin.

Segundo o presidente da CBF, que irá passar o bastão para Marco Polo Del Nero em abril, haverá uma reunião após o Carnaval na qual Gallo poderá explicar o mau desempenho do time. E nela a cúpula da entidade poderá decidir mantê-lo ou não.

- Vamos ter uma reunião com o Gallo e vamos dar oportunidade a ele para esclarecer a campanha do Brasil no Sul-Americano. Vamos dar oportunidade para justificar - completou Marin, reclamando que o time não jogou coletivamente.


Marin esteve em evento na Rio-2016 nesta quinta-feira (Foto: Igor Siqueira)

- Vou fazer uma crítica direta. O futebol é esporte coletivo. Acho que houve muito individualismo e pouco jogo coletivo. Mas não vou, em razão de uma disputa, tomar uma decisão drástica - completou, destacando que a insatisfação também foi pelo tempo em que Gallo está na função (dois anos) e pela estrutura que a CBF deu às seleções de base.

O Brasil ficou em quarto lugar no Sul-Americano, mas conseguiu classificação ao Mundial Sub-20 da Nova Zelândia. A estreia será em 1 de junho e o Brasil caiu no mesmo grupo que o campeão africano (a ser definido), Coreia do Norte e Hungria.