icons.title signature.placeholder Amélia Sabino
14/12/2013
08:08

José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), prepara uma resposta da entidade à bárbarie do último domingo na Arena Joinville (SC), quando quatro torcedores saíram do estádio direto para o hospital após uma briga entre as torcidas do Atlético-PR e Vasco.

Marin articula a criação de um Conselho de Segurança da CBF, que, se concretizado, será um órgão de caráter consultivo ligado diretamente à presidência. Para presidir o Conselho, Marin já convidou o deputado estadual Fernando Capez (PSDB-SP).

- (O Conselho) está instituído sim, só falta agora completá-lo - afirmou Capez, em entrevista ao LANCE!Net.

A CBF, porém, não confirma oficialmente a fundação do Conselho e não há até o momento nenhum ato da presidência nesse sentido. Mesmo assim, Capez falou sobre o plano da CBF:

- A CBF resolveu me chamar para retomar meu trabalho e tem força de comunicação. O Conselho oficial vai municiar a organizadora pra que ela cobre e talvez até suspenda jogos que não tenham as garantias de segurança. O Conselho não vai admitir, por exemplo, que jogo de Brasileirão não use a Polícia Militar. Isso é um equívoco ululante.

O deputado estadual foi o enviado da CBF na reunião com o governo federal que aconteceu em Brasília (DF), na quinta, para tratar sobre medidas que combatam a violência no futebol. Na ocasião, foram apresentadas nove propostas.