icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/07/2013
19:15

O lateral Marcos Rocha saiu insatisfeito com a atuação do time diante do Cruzeiro. Mas, além disso, também não poupou o árbitro Emerson de Almeida Ferreira. O camisa 2 do Galo disse que, apesar de querer o sucesso da arbitragem mineira, foi vítima de uma intimidação do dono do apito, ao lado do companheiro Alecsandro.

– Não vim para perder do Cruzeiro, vim para ganhar. Não é desculpa, mas o Emerson nos intimidou, falou para mim e para o Alecsandro que iria expulsar a gente. Torço para a arbitragem de Minas fazer sucesso, mas do jeito que fizeram hoje (domingo), não dá – explicou.

O discurso de Marcos Rocha foi ainda no gramado, logo após o término do jogo. E, para Cuca, esse fator deve ser levado em consideração para que as queixas do lateral se minimize.

- Vamos ver, convesar. Jogador sempre de cabeça quante, acho que, pensando friamente, a arbitragem não teve influência no resultado. Acho o Emerson um baita de um árbitro. Às vezes ele erra. Mas estamos de cabeça quente. Entendo o Rocha. Às vezes se discute com o árbitro. Vamos por um pano quente nisso aí e acabou.

Rocha ainda lembrou que o Galo teve de conviver com a falta de entrosamento da equipe, já que a delegação do Atlético contou apenas com ele e Ricky de titulares.

– Começamos bem, ma acabamos caíndo de qualidade, demosbastante chutão e não nos encontramos. Tínhamos oito jogadoresda base. Não tínhamos o entrosamento ideal. Não é desculpa e a responsabilidade é toda nossa. Foi feiomas estamos na crescente. Vamos voltar a focar totalmente no Brasileiro para voltar a pontuar.

Cruzeiro goleia Atlético-MG por 4 a 1

O lateral Marcos Rocha saiu insatisfeito com a atuação do time diante do Cruzeiro. Mas, além disso, também não poupou o árbitro Emerson de Almeida Ferreira. O camisa 2 do Galo disse que, apesar de querer o sucesso da arbitragem mineira, foi vítima de uma intimidação do dono do apito, ao lado do companheiro Alecsandro.

– Não vim para perder do Cruzeiro, vim para ganhar. Não é desculpa, mas o Emerson nos intimidou, falou para mim e para o Alecsandro que iria expulsar a gente. Torço para a arbitragem de Minas fazer sucesso, mas do jeito que fizeram hoje (domingo), não dá – explicou.

O discurso de Marcos Rocha foi ainda no gramado, logo após o término do jogo. E, para Cuca, esse fator deve ser levado em consideração para que as queixas do lateral se minimize.

- Vamos ver, convesar. Jogador sempre de cabeça quante, acho que, pensando friamente, a arbitragem não teve influência no resultado. Acho o Emerson um baita de um árbitro. Às vezes ele erra. Mas estamos de cabeça quente. Entendo o Rocha. Às vezes se discute com o árbitro. Vamos por um pano quente nisso aí e acabou.

Rocha ainda lembrou que o Galo teve de conviver com a falta de entrosamento da equipe, já que a delegação do Atlético contou apenas com ele e Ricky de titulares.

– Começamos bem, ma acabamos caíndo de qualidade, demosbastante chutão e não nos encontramos. Tínhamos oito jogadoresda base. Não tínhamos o entrosamento ideal. Não é desculpa e a responsabilidade é toda nossa. Foi feiomas estamos na crescente. Vamos voltar a focar totalmente no Brasileiro para voltar a pontuar.

Cruzeiro goleia Atlético-MG por 4 a 1