icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
04/03/2014
12:27

Na opinião do volante Marcelo Mattos, a diretoria do Botafogo acertou ao fazer seu planejamento para o primeiro semestre de 2014, priorizando a Copa Libertadores. Apesar de algumas críticas surgirem neste momento pela má campanha no Campeonato carioca - em que a classificação para a fase semifinal está difícil -, o jogador disse que os torcedores alvinegros têm entendido a escolha que foi feita, e que, assim como os botafoguenses, o sonho e o objetivo dos jogadores é ser campeão da América.

- Para mim, o mais importante é a Libertadores. Nosso objetivo é ser campeão da Libertadores. Nós também podemos sonhar com isso. É um campeonato que não disputávamos há muito tempo, há muito tempo procurávamos a classificação no Campeonato Brasileiro e conseguimos no ano passado. Se tiver que abrir mão de um jogo ou outro do Carioca, está no planejamento. É só comparar a torcida na Libertadores. O que esta torcida tem feito na Libertadores é fantástico - destacou Marcelo, em entrevista coletiva, nesta terça-feira, no Engenhão.

Enquanto na Libertadores o time lidera o Grupo 2, com quatro pontos, no Campeonato Carioca - em que tem atuado prioritariamente com o time reserva -, o Botafogo ocupa apenas a sexta colocação na tabela de classificação, com 15 pontos e distante dos quatro primeiros, que se classificam para a semifinal. Apesar de priorizar claramente a competição continental, Marcelo Mattos diz que o time ainda não desistiu de buscar a classificação no Estadual.

- No futebol tudo é possível, tudo é possível. Temos que torcer por resultados de adversários, mas enquanto houver um fio de esperança, vamos em busca da classificação - afirmou Marcelo.

Para a próxima rodada do Estadual, quinta-feira, às 16h, contra o Audax, em Moça Bonita, o time titular já está escalado por Eduardo Hungaro. Jefferson e Lodeiro, liberados para amistosos das seleções Brasileira e uruguaia, respectivamente, não devem jogar. Com isso, o time jogaria com: Helton Leite, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Jorge Wagner e Daniel, Wallyson e Ferreyra.