icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/06/2014
19:38

Os 62 mil torcedores que lotaram a Arena Corinthians na abertura da Copa do Mundo de 2014 tomaram um susto logo aos nove minutos de bola rolando, quando Olic cruzou pela esquerda, Jelavic desviou e o lateral-esquerdo Marcelo acabou empurrando a bola para dentro do gol da Seleção Brasileira, abrindo o placar. Com dois gols de Neymar e mais um de Oscar, o time canarinho virou e assegurou a vitória por 3 a 1 que "salvou a pele" do camisa 6.

Na saída do gramado do estádio de Itaquera, Marcelo foi questionado sobre o lance, e se explicou. De acordo com o jogador do Real Madrid, não passou de um lance infeliz, e a torcida e os companheiros foram importantes para que ele não sentisse a pressão psicológica por ter marcado um gol contra.

- Eu estava fechando na cobertura, aí o atacante bateu errado, a bola bateu no meu pé e acabou entrando. É difícil quando isso acontece, mas eu tive o apoio dos meus companheiros e da torcida, que ficou gritando meu nome. Eu me senti mais tranquilo, vi que era um problema, mas que podia ser resolvido. Não foi diferente. Conseguimos empatar e acabamos virando. Juntos, a gente conseguiu resolver - relatou o lateral-esquerdo titular da Seleção Brasileira.

Apesar de reconhecer a importância do suporte dos companheiros, Marcelo lembrou que costuma ser um jogador frio, e que já esperava dificuldades na estreia contra a Croácia.

- Se eu vier abaixo, eu prejudico o time. Não foi a primeira vez que isso aconteceu, então você tem que ficar tranquilo para buscar a virada. Eles sabem que eu sou muito tranquilo, não vou abaixo quando falho. Se fosse o contrário, eu também iria apoiar, mas o mais importante é que a gente conseguiu vencer esse jogo - disse Marcelo, antes de completar.

- Quando o jogo é 3 a 1 parece que foi fácil, mas não tem nada de fácil. Copa do Mundo é assim, a gente sabe como é a pressão. Não estamos esperando jogo fácil até o final, porque sabemos que vai ser sempre assim ou mais difícil - declarou o primeiro jogador a balançar as redes na Copa do Mundo de 2014.

Enquanto concedia entrevistas na zona mista da Arena Corinthians, Marcelo vestia uma camisa da Croácia com o número 10, que foi usada pelo meia Modric, seu companheiro no Real Madrid.