icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
15/07/2013
20:52

Tricolores e vascaínos ficaram apreensivos quando, na semana passada, o presidente do consórcio Maracanã S.A, João Borba, disse que os torcedores deveriam repensar a forma de se comportar no estádio. A utilização de bandeiras com mastro, instrumentos musicais e até mesmo torcer sem camisa seria proibido a partir de um novo termo de conduta. Entretanto, conforme o LANCE! antecipou, tudo não deverá passar da advertência.

Em reunião ocorrida nesta segunda-feira, os membros da Federação das Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro (FTORJ) conversaram com o presidente da Suderj, André Lazaroni, e solicitaram a liberação dos equipamentos. O argumento dos torcedores se baseia no que já está previsto em compromisso assinado pelas organizadas com o Ministério Público em 2011 e será encaminhado ao consórcio por escrito.

A tendência é que não haja resistência. O Maracanã S.A. deve seguir a recomendação do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), que não vê problemas nas solicitações e a cultura do futebol carioca não corre riscos.


Neste domingo, Fluminense e Vasco se enfrentarão às 18h30, no Maracanã. Os preços variam de R$ 60 a R$ 220.

Tricolores e vascaínos ficaram apreensivos quando, na semana passada, o presidente do consórcio Maracanã S.A, João Borba, disse que os torcedores deveriam repensar a forma de se comportar no estádio. A utilização de bandeiras com mastro, instrumentos musicais e até mesmo torcer sem camisa seria proibido a partir de um novo termo de conduta. Entretanto, conforme o LANCE! antecipou, tudo não deverá passar da advertência.

Em reunião ocorrida nesta segunda-feira, os membros da Federação das Torcidas Organizadas do Rio de Janeiro (FTORJ) conversaram com o presidente da Suderj, André Lazaroni, e solicitaram a liberação dos equipamentos. O argumento dos torcedores se baseia no que já está previsto em compromisso assinado pelas organizadas com o Ministério Público em 2011 e será encaminhado ao consórcio por escrito.

A tendência é que não haja resistência. O Maracanã S.A. deve seguir a recomendação do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), que não vê problemas nas solicitações e a cultura do futebol carioca não corre riscos.


Neste domingo, Fluminense e Vasco se enfrentarão às 18h30, no Maracanã. Os preços variam de R$ 60 a R$ 220.