icons.title signature.placeholder Lucas Faraldo e Murilo Dias
02/07/2014
07:14

Se há um jogador que simbolize ascensão no Palmeiras, trata-se de Renato, jovem volante de 22 anos. “Efetivado” na equipe profissional em meio à Série B do Brasileirão do ano passado, ainda com o técnico Gilson Kleina, o camisa 23 ganhou de fato a condição de titular do meio de campo alviverde nas mãos do interino Alberto Valentim. Para se manter em alta no Verdão, o atleta diz contar com a confiança de muita gente de dentro do clube.

– Estou em um momento de crescimento, momento que eu estou pegando confiança, então é uma fase que eu conto com ajuda dos meus companheiros, comissão técnica, presidente, Brunoro que sempre me dão força. Eu estou muito feliz com a confiança deles – disse o volante, em entrevista exclusiva ao LANCE!Net.

Ciente da responsabilidade de assumir uma vaga na centenária equipe palestrina, Renato lembra até mesmo ídolos do passado para justificar sua adaptação ao time titular. César Sampaio, ex-volante do Palmeiras na década de 90, e querido pela torcida do Verdão, por exemplo, simboliza “pressão” para o jovem.

– É complicado um jogador da base subir e ter a responsabilidade de assumir uma posição pela qual já passaram muitos craques, como César Sampaio – explicou o jogador.

VELHO AMIGO

Desde sua chegada às categorias de base do Palmeiras, Renato traz consigo uma curiosa história. Natural de Caieiras, assim como Marcos Assunção, o jovem volante contou com a indicação do veterano meio-campista para, em 2012, ter seu nome sugerido à comissão técnica alviverde. No mesmo ano, Assunção ainda defendia a camisa do Verdão.

– Ele (Marcos Assunção) sempre foi meu ídolo. Acompanho a carreira dele desde pequeno, ele é de Caieiras, da mesma cidade que eu. Eu sempre acompanhei o trabalho dele. É um jogador excelente, é um grande profissional dentro e fora de campo. É um cara que todo mundo gosta, respeita todo mundo. Sempre gostei do futebol dele. Então só tenho que me espelhar mesmo, até porque foi o cara que me ajudou – contou Renato.

Após ser aceito na base do Palmeiras, Renato acabou emprestado para o Moreirense, de Portugal. Depois de um ano no futebol europeu, voltou – para ficar – ao Palmeiras.