icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
21/06/2014
08:00

Apesar dos treinos físicos exaustivos e em dois períodos que são realizados diariamente, os jogadores do Corinthians vivem um clima de união no Hotel Fazenda Amoreiras, na cidade mineira de Extrema. As constantes brincadeiras e até a pescaria realizada pelos goleiros na sexta-feira mostram que o ambiente é saudável, exatamente como planejava o técnico Mano Menezes.

No comando do Timão desde o início da temporada, e frustrado pela eliminação precoce no Campeonato Paulista, Mano queria tempo para trabalhar, unir o grupo de jogadores e equilibrar os setores do time. Se com Tite o Corinthians era um time que tomava poucos gols e também fazia poucos, o que irritava a torcida nos últimos meses de trabalho, com Mano o time se abriu, e demorou a se reequilibrar. Para o segundo semestre, a ideia é ter uma equipe confiável tanto na defesa quanto no ataque.

Já em relação ao grupo, Mano tem feito de tudo para evitar qualquer mal-estar. Jogadores que não serão aproveitados no segundo semestre, como Wanderson ou Jocinei, viajaram com a delegação para Extrema, pois o treinador quer ter o grupo "na mão". No que depender do humor dos jogadores neste período de treinos, essa será a missão mais fácil do gaúcho, que passou pelo Timão entre 2008 e 2010, conquistando uma edição do Brasileiro Série B, um Campeonato Paulista e uma Copa do Brasil.

Com objetivo de vencer ou o Brasileirão ou a Copa do Brasil no segundo semestre de 2014, e fechar bem o primeiro ano de sua segunda passagem pelo clube, Mano e sua comissão técnica prepararam um período de treinos focado, no início, no fortalecimento físico dos jogadores. A parte técnica e tática já está sendo trabalhada, mas só se tornará o foco após o retorno a São Paulo, marcado para a próxima quinta-feira.

Enquanto os preparadores físicos, fisioterapeutas e fisiologistas fazem seu trabalho, Mano tem apenas observado. O treinador só se soltou mesmo e até apareceu no campo na última sexta-feira, mas nem chegou a dar ordens aos jogadores. Debaixo da tenda ao lado do campo, riu, brincou e conversou com os colegas de trabalho. E foi justamente o futebol o responsável por animar o treinador, já que comissão técnica e funcionários do Corinthians haviam disputado uma pelada no mesmo dia, pela manhã.

- Estou quebrado até agora - chegou a dizer o treinador, bem humorado com o tempo para treinar e o novo ambiente do Corinthians.