icons.title signature.placeholder Felipe Bolguese
14/03/2014
19:17

Como tem feito nos dias que antecedem os jogos do Corinthians, o técnico Mano Menezes fechou o treinamento tático da equipe que enfrentará o Penapolense neste domingo, às 16h, no Tenente Carriço, em Penápolis, pela penúltima rodada da primeira fase do Paulistão.

Na última quinta, Mano havia testado o meia Renato Augusto entre os titulares, no lugar de Guilherme, como espécie de terceiro volante no meio. Nesta sexta, em entrevista coletiva, porém, deu a entender que Renato ainda não será titular no próximo jogo, apesar de este ser um desejo futuro. Como mostrou o LANCE!Net em 8 de fevereiro, o meio ideal na cabeça de Mano tem Jadson e Renato Augusto.

- A partir do momento em que tenho dois jogadores como Renato Augusto e Jadson para as meias, tenho obrigação de, no mínimo, pensar a equipe com os dois. Começo a trabalhar agora para fazer isso logo aí na frente. Normal usar o treinamento para ir encaixando as ideias, muda a formação de meio, você passa a atuar com dois volantes. Esses dois volantes têm funções diferentes do que tinham quando a equipe jogava com três. O técnico não deve fazer uma mudança sem trabalhar nos treinamentos - afirmou treinador alvinegro, em entrevista coletiva nesta sexta, no CT Joaquim Grava.

Apesar de não revelar a escalação, o treinador deve optar pela formação que utilizou na atividade de quinta-feira. Ele vai promover o retorno do lateral-esquerdo Fábio Santos, que não atua desde outubro do ano passado, por conta de lesões no púbis e no abdômen, além de Jadson, que ficou fora do clássico contra o São Paulo por força contratual.

Além disso, Mano vai manter, por ora, o esquema com três volantes (Ralf, Guilherme e Bruno Henrique), que não é de sua preferência. O Timão deve entrar em campo com: Cássio, Fagner, Cleber, Gil e Fábio Santos; Ralf, Guilherme, Bruno Henrique e Jadson; Romarinho e Luciano.

- Eu não gosto de jogar com três volantes, mas a necessidade do momento, aquilo que o Corinthians vinha apresentando, pediu. A necessidade de estancar a situação, a falta de vitórias, me fez pensar além das minhas preferências. Técnico deve ter essa grandeza. Por isso, a escolha foi assim. Não quer dizer que vamos jogar a vida inteira com três volantes. Precisamos continuar evoluindo e isso é pensar em mudanças de características. A gente perde marcação, mas ganha mais do meio pra frente. O Renato pode ser esse jogador - explicou Mano.

De fato, foi depois que Jadson e Bruno Henrique entraram, no clássico diante do Palmeiras, que a equipe se encaixou e começou a apresentar bons resultados. O esquema com três volantes foi elogiado, mas Mano ressaltou que não quis "retrancar" sua equipe.

- No futebol, você tem que fazer tudo para vencer. Mas, às vezes, fazer o melhor para vencer não significa colocar mais um atacante. Às vezes, é preciso colocar mais um volante. Pode não ser uma equipe tão ofensiva, brilhante, mas é mais segura. Equipes inseguras não ganham jogos, ou ganham poucos jogos. Eu quis dar segurança para voltarmos a vencer. Às vezes, proteger o gol significa segurar a bola lá na frente, e isso aproxima a equipe das vitórias - ressaltou o comandante alvinegro.