icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/07/2014
12:15

Romarinho perdeu a condição de titular do Corinthians após a Copa do Mundo. Atualmente, pode-se dizer que ele está atrás de Romero e Luciano para formar dupla com Guerrero. Ou seja, é a quarta opção do ataque. Mas... Domingo tem clássico contra o Palmeiras, e tudo muda. Como é carrasco do arquirrival alvinegro, o técnico Mano Menezes afirmou que ele vai jogar, seja iniciando (pouco provável), seja saindo do banco de reservas no segundo tempo.

- A gente leva em consideração (o bom retrospecto do Romarinho contra o Palmeiras), sim. Leva tudo. Pode não ser determinante, mas certamente vai estar entre as questões analisadas, ou para iniciar, ou uma substituição durante o jogo. Porque o adversário enxerga esse jogador de maneira diferente, então isso é levado em consideração, sim - disse o técnico, em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

Com semanas de clube, logo em seu primeiro Dérbi, pelo Brasileirão de 2012, Romarinho fez os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras. Desconhecido naquela ocasião, no jogo seguinte ele entrou na decisão da Libertadores diante do Boca Juniors (ARG), na Bombonera, e fez o gol que garantiu o empate por 1 a 1.

Nos clássicos seguintes, o jogador se confirmou como o maior carrasco da atualidade. No total, são cinco gols em quatro jogos. Ele, inclusive, foi o autor do gol do empate por 1 a 1 no clássico deste ano, pelo Paulistão, no Pacaembu.


Para o duelo deste domingo, na Arena Corinthians, pelo Brasileirão, Romarinho deve iniciar no banco, já que Mano começou o treinamento desta sexta-feira com Romero e Guerrero no ataque. Na segunda parte, Romarinho e Luciano entraram, o que fez o treinador fazer um certo mistério, que soa mais como tentativa de despistar e usar o 'fator carrasco' para deixar a dúvida no ar.

- Se Romarinho não iniciar jogando, é esse o pensamento (ele entrar no decorrer). Durante muitos anos, no Rio Grande do Sul, o Internacional tinha um 12º jogador que era o Escurinho. Sempre que ele entrava, significava muito para a torcida do Internacional, como confiança, e também para a torcida do Grêmio, como pavor. Ele sempre fazia gol de cabeça. É a essa simbologia que estou me referindo. Mas eu prefiro acreditar em trabalho, dedicação... Os técnicos enxergam dessa forma, com mais cuidado. O momento do jogador é importante, e às vezes o momento é mais difícil, aí tem de respeitar mais o momento - disse Mano, por fim indicando que Romarinho deve começar mesmo no banco.